Produção de cosméticos sustentáveis: startup paulista cria método

produção de cosméticos sustentáveis startup paulista cria método

Produção de cosméticos sustentáveis desenvolveu um sérum rejuvenecedor a partir de bioativos obtidos da Artemísia, utilizada na medicina tradicional chinesa

Criada em 2020, como uma ideia da farmacêutica Soraya El Khatib, a startup S Cosméticos do Bem tinha por objetivo inicial desenvolver produtos baseados em preceitos da economia circular. Ou seja, em que toda a cadeia de produção contribui para uma atitude de maior sustentabilidade, com menos impacto no meio ambiente.

Produção de cosméticos sustentáveis

Sendo assim, nos últimos meses a produção de cosméticos sustentáveis se tornou uma spin-off da Universidade Estadual de Campinas. Além disso, ela contou com o apoio do Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE). Resultado: há uma boa aceitação de um dos seus produtos inovadores disponíveis de forma comercial. Trata-se do sérum rejuvenecedor.

Bioativos

A produção utiliza bioativos extraídos da Artemísia (Artemisia annua), planta originária da China. Um dos principais componentes dessa espécie é utilizado na Ásia, pela medicina tradicional chinesa, para o tratamento da malária. El Khatib explica ao Pesquisa para Inovação:

“Segundo vários estudos, essa planta tem, aproximadamente, três mil bioativos. O produto que desenvolvemos a partir dela tem uma formulação mais viscosa que um líquido, mas não chega a ser um creme, e tem se mostrado um sucesso em termos de regeneração da pele, o que reduz de forma significativa os sinais de envelhecimento.”

Eficácia no combate da malária cerebral e da malária falciparum

Além disso, os estudos sobre Artemísia apontam que os componentes da planta são potentes e eficazes no combate da malária cerebral e da malária falciparum.

Essa variedade da doença – causada pelo plasmodium, transmitido na maioria das vezes por mosquitos do gênero Anopheles – é considerada uma das mais agressivas para o ser humano. E foi por causa dos estudos das propriedades da artemísia no combate à malária que a pesquisadora chinesa Yu Yu Tu ganhou parte do Nobel de Medicina e Fisiologia de 2015.

Objetivo da startup paulista

Entretanto, nos laboratórios da startup o principal objetivo dos pesquisadores era desenvolver produtos cosméticos e repelentes para insetos comuns no Brasil a partir da planta. Para isso, desenvolveram técnicas inovadoras para extração dos princípios ativos que não poluíssem o meio ambiente.

“As metodologias convencionais se mostraram um desastre total em relação aos nossos objetivos. Os resíduos desses processos são muitas vezes tóxicos e poluem muito o ambiente, além de não serem escaláveis. A nossa condição de montar toda a cadeia de acordo com as práticas da economia circular nunca seria atingida daquela forma.”

Aromático, perene e cresce em arbustos

Além disso, o vegetal chinês é aromático, perene e cresce em arbustos. Possui folhas verdes e caule ereto e acastanhado. Chegando a um metro de altura. Inclusive, no Brasil o cultivo da planta já sofreu as devidas adaptações por causa das diferenças climáticas entre América do Sul e China. E isso favoreceu o uso da planta por aqui.

Com isso, a produção de cosméticos sustentáveis aproveita todas as qualidades da planta, sem usar solventes orgânicos tóxicos.

“Esse processo garante a ausência de ingredientes alergênicos, transgênicos ou qualquer resíduo de origem animal.”

Inovação patenteada

Por fim, a S Cosméticos do Bem acaba de patentear a inovação, burilada a partir dos conceitos e metodologias da química e da farmacologia.

A farmacêutica afirma que há metas mais ousadas ainda para os próximos anos. Para isso, a startup pretende buscar parcerias para atingir uma escala maior de produção para os itens já comercializados. Trata-se da linha exclusivamente voltada aos repelentes, continuará sendo um destaque da empresa. Prova disso é que a companhia tem a patente de uma linha de sprays, feitos com óleos voláteis da Artemísia. eles prometem garantir proteção contra mosquitos, inclusive contra o Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya, do zika vírus e da febre amarela.

“Também estamos com um projeto em desenvolvimento muito promissor de um produto contra o Sars-CoV-2.”

*Foto: Divulgação

Fiat elétrico 500e: motoristas receberão criptomoedas

fiat elétrico 500e motoristas receberão criptomoedas

Novo Fiat elétrico 500e vai proporcionar a seus proprietários a experiência e-Mobility, programa de recompensas voltado à promoção de ações sustentáveis

Na terça-feira (16), a Stellantis anunciou aos proprietários do Fiat 500e um programa de recompensas. Em parceria com a Kiri Technologies, a companhia oferece agora o e-Mobility, programa de recompensas voltado à promoção de ações de sustentabilidade. Sendo assim, os motoristas poderão receber criptomoedas. Além da Fiat, a Stellantis é dona também de outras marcas, como Citroën, Jeep e Peugeot.

Fiat elétrico 500e

De acordo com a responsável pela iniciativa, 10 mil quilômetros rodados por ano se converterão em até 7.500 KiriCoins (nome da moeda digital). Esse valor equivale a 150 euros.

Além disso, tais valores serão aceiros em um marketplace específico, que disponibilizará os produtos. Contudo, vouchers de compras em empresas como Apple, Amazon, Spotify e Netflix estarão entre os prêmios destinados aos melhores de rankings nacionais.

Em comunicado, a gerente do e-Mobility da Stellantis, Gabriele Catacchio, explica:

“Queremos apoiar os comportamentos ecológicos de nossos clientes e recompensá-los com benefícios exclusivos. Só por dirigir o novo 500e, conectado e equipado com o novo sistema de infoentretenimento, KiriCoins podem ser coletadas em uma carteira virtual exibida no app da Fiat.”

Simplicidade e inovação

Originalmente, a ação está restrita à Europa e às funcionalidades indicadas. Porém, a Stellantis planeja estender a iniciativa a outros setores, como o de energia renovável e de mantimentos e produtos orgânicos. Assim como formar uma verdadeira comunidade ao redor da criptomoeda, construída por aqueles que valorizem os cuidados com a natureza.

Kiri Techonologies

‘Kiri’ é o nome japonês de Paulownia, árvore que absorve 10 vezes mais dióxido de carbono do que qualquer outra planta. Em apenas um hectare dessa espécie já compensa em torno de 30 toneladas de CO2, o que corresponde às emissões de 30 carros convencionais ativos no mesmo período.

Carros totalmente elétricos

Todas as versões do novo Fiat 500e contam com diferentes baterias e motores: Action, Passion e Icon. Além disso, eles são carros totalmente elétricos e não emitem gás carbônico.

Sobre isso, Cristiano Fiorio, representante da Stellantis, reforça:

“A Kiri Technologies] chamou a nossa atenção com uma ideia muito simples e inovadora: premiar pessoas que respeitam o meio ambiente.”

E finaliza:

“Combinar essa ideia com as características do […] nosso carro-chefe em inovação tecnológica e mobilidade elétrica […] veio naturalmente para nós.”

*Foto: Divulgação

Conservação do Cerrado: edital pode conceder até US$ 300 mil

conservacao do cerrado edital pode conceder até US$ 300 mil

Conservação do Cerrado será viabilizada pelo Fundo PPP-Ecos, que está com inscrições abertas até a próxima segunda-feira (8)

Associações e cooperativas que atuam no Cerrado podem receber até US$ 300 mil para desenvolver projetos de fortalecimento da governança e minimização dos impactos negativos da pandemia de covid-19 nesses territórios.

Projetos para conservação do Cerrado

Esta já é a 30ª edição do edital do Fundo PPP-ECOS, que está com inscrições abertas até a próxima segunda-feira (8).

As propostas devem ser encaminhadas por meio do sistema de inscrição do Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN). A entidade coordena a iniciativa, em parceria com Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud).

Elegíveis

Segundo o edital, são elegíveis para o programa as entidades que se enquadram no conceito de Territórios e Áreas Conservadas por Comunidades Indígenas e Locais (TICCA).

Além disso, o título global pode ser atribuído a territórios comunitários e tradicionais conservados nos quais a comunidade se conecta totalmente com o lugar que habita, com processos internos de gestão e governança e resultados positivos na preservação da natureza.

Ao todo, os recursos do edital somam US$ 300 mil. O montante vem do Ministério do Meio Ambiente, Proteção da Natureza e Segurança Nuclear da Alemanha (BMU) e da Iniciativa Internacional do Clima (IKI). Com limite máximo de US$ 30 mil por projeto, a iniciativa deve beneficiar ao menos 10 propostas.

Seis eixos temáticos

O edital para projetos de conservação do Cerrado define seis eixos temáticos em que os projetos poderão ser englobados. Isso inclui:

  • Comunicação e compartilhamento de informações por meios culturais; Sistemas de produção de alimentos, com foco em agroecologia e agrossilvicultura;
  • Prevenção de zoonoses e futuras pandemias;
  • Transmissão de conhecimento medicinal tradicional;
  • Mapeamento territorial e demarcação para auto isolamento e conservação;
  • Implementação de conhecimento tradicional no controle e manejo do fogo.

Recursos de contrapartida

Entretanto, todas as propostas submetidas no âmbito do edital deverão apresentar recursos de contrapartida em um montante mínimo de 20% sobre o valor solicitado ao PPP-ECOS.

O horário limite para apresentação de projetos é às 23h59 (horário de Brasília) do dia 8 de março.

Como é o programa

O PPP-ECOS concede doações a associações sem fins lucrativos e cooperativas constituídas, que tenham caráter não governamental ou de base comunitária para a implementação de ações que gerem benefícios socioambientais. Segundo o ISPN, o edital foca nas inter-relações entre comunidades tradicionais, agricultores familiares e populações indígenas e o meio ambiente, com ênfase na promoção de modos de vida em torno da sustentabilidade, que contribuam com benefícios sociais e ambientais, conforme os acordos internacionais e políticas nacionais.

Contudo, nos últimos 25 anos de execução do programa foram apoiados mais de 800 projetos, num total de 27 editais. Tais iniciativas resultaram em um investimento em torno de R$ 50 milhões diretamente em organizações comunitárias e organizações não governamentais que atuam no Distrito Federal e em 26 estados brasileiros.

Além disso, só nos últimos oito anos, quase 15 mil famílias foram capacitadas em ações promovidas pelos projetos, que fomentaram o uso sustentável de mais de 1 milhão de hectares no Cerrado, na Caatinga e na Amazônia.

Edital e inscrições

Os interessados devem acessar o edital para a conservação do Cerrado do Fundo PPP-ECOS neste endereço. Já para as inscrições, clique aqui.

*Foto: Reprodução/iStock

Toneladas de plástico das praias se transformam em embalagens de protetor solar

toneladas de plástico das praias se transformam em embalagens de protetor solar

265 toneladas de plástico das praias foram recolhidos por meio de parceria entre Grupo Boticário e cooperativas do litoral sul de São Paulo

Diversas parcerias surgem em prol de reduzir os impactos ao meio ambiente e ainda promover mais atos de sustentabilidade. Foi assim que nasceu a iniciativa entre o Grupo Boticário e cooperativas do litoral sul de São Paulo. O projeto Seaside é uma frente da área de Pesquisa & Desenvolvimento do Grupo Boticário.

Plástico das praias transformado em embalagens

Até o momento, a parceria do Boticário com cooperativas de catadores de material reciclável das cidades do Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande, Santos e São Vicente, já resultou em 265 toneladas de plásticos recolhidos das praias. Eles serão processados, transformados em resina e darão origem a protetores solares e outros itens do portfólio da empresa de cosméticos. Já a Globalpet fica responsável por realizar a captação do material junto às cooperativas.

Projeto Seaside

Além disso, o projeto Seaside foca na economia circular, redução do impacto ambiental e social, e ainda beneficiar 316 famílias de trabalhadores de cooperativas de sete municípios do litoral paulista.

De acordo com a pesquisadora do Grupo Boticário responsável pelo projeto, Daniele Medeiros:

“O trabalho com reciclagem é fundamental também para a preservação ambiental e com este projeto aliamos a necessidade de limpeza das praias à ajuda a famílias e cooperativas que vivem dessa coleta. Todos saem ganhando.”

Coleta de embalagens vazias

Vale reforçar que há mais de 10 anos que O Boticário mantém em todas as suas lojas uma área de coleta de embalagens vazias. Portanto, elas recebem a destinação correta para a reciclagem.

Batizado de “Boti Recicla”, a iniciativa estimula consumidores a darem um destino correto aos seus produtos.

*Foto: Divulgação

MG pode economizar 21% com energia solar por assinatura

mg pode economizar 21% com energia solar por assinatura

Energia solar por assinatura permite usar fonte renovável mesmo sem painéis instalados em casa

O estado de Minas Gerais tem se destacado em termos de sustentabilidade ao abrigar mais de um projeto voltado a sistemas de fontes de energia renováveis. É o caso da empresa nacional Gera Soluções, que possibilita a obtenção de energia solar mesmo sem painéis instalados em casa.

Energia solar por assinatura

Com um plano de energia solar por assinatura, o cliente paga um valor mensal para “alugar” um lote da fazenda solar e receber os créditos da energia produzida ali, e abatê-los na conta de luz.

A empresa Gera Soluções afirma que esta fonte renovável virá por meio de duas usinas fotovoltaicas que estão sendo construídas no território mineiro. Cada uma com 2,5 megawatts (MW). Elas devem ser inauguradas entre março e abril deste ano.

Economia na tarifa da conta de luz

Além da economia nas tarifas da conta de luz, que neste ano devem ficar ainda mais caras, a grande vantagem do serviço de energia por assinatura é que não é necessário fazer o investimento inicial de equipamentos e instalação de um sistema próprio de geração de energia.

Maior projeto do segmento no país

Contudo, a Gera Soluções ainda afirma que está será o projeto com o maior desconto em tarifas de energia no modelo de assinaturas do Brasil. A economia estimada é de até 21% aos consumidores.

Quem pode aderir ao serviço

Entretanto, o serviço PE voltado para os que tenham um gasto médio com eletricidade igual ou superior a R$ 500 por mês. Ou seja, não será apenas para residências. E ele ainda se mostra mais compensatório para comércios, indústrias e propriedades rurais.

De acordo com o diretor do Grupo Gera, Ramon Oliveira:

“Temos o objetivo de atender cerca de 400 clientes no primeiro trimestre deste ano oferecendo planos com alta economia para quem não possui espaço ou não pode instalar painel solar no telhado e que deseje economia imediata na conta sem investimento. E, a partir do primeiro trimestre, devemos expandir para atender mais clientes e em outros estados.”

Tempo real

Todavia, outro diferencial do serviço de energia solar por assinatura é que os clientes poderão acompanhar em tempo real o consumo e a economia gerada via aplicativo. Além disso, é disponibilizado um consultor especializado para tirar dúvidas e atender as demandas durante a vigência do contrato.

Minas Gerais solar

Com alto índice de insolação, somados aos investimentos privados e públicos, Minas Gerais é destaque em energia solar. As pequenas gerações energéticas, para consumo próprio, garantem a posição de liderança no ranking de geração solar distribuída do Brasil.

Em dezembro, o estado superou a marca de 800 megawatts (MW) instalados em telhados, fachadas, terrenos residenciais, comércios, indústrias, propriedades rurais e prédios públicos.

*Foto: Divulgação

Projetos de geração distribuída terão isenção de ICMS em Minas

projetos de geração distribuída terão isenção de icms em minas

Projetos de Geração distribuída poderão ser beneficiados por meio de lei sancionada pelo governo mineiro

Na semana passada, o Governo do Estado de Minas Gerais sancionou a lei nº 23.762/21. Sendo assim, a medida concede isenção na cobrança do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para projetos de geração distribuída. Isso inclui: fontes eólica, biomassa, biogás e Centrais Geradoras Hidrelétricas (CGHs) de até 5MW de potência.

Projetos de geração distribuída

Alei foi criada por meio da Associação Brasileira de Geração Distribuída (ABGD). A partir disso, o autor do decreto, o deputado estadual Gil Pereira (PP), coletou dados sobre a participação atual dessas fontes e o potencial de expansão.

Sobre isso, Tayane Vieira, diretora de biogás da ABGD e uma das representantes da Associação nas reuniões com o deputado, explica:

“Nós demonstramos como a geração distribuída feita com todas as fontes pode trazer benefícios ao Estado, não só gerando energia renovável, mas também gerando empregos, reaproveitando resíduos e recursos naturais e aquecendo a economia.”

Pioneirismo

Além disso, a empresa é pioneira em incentivar a geração distribuída. Contudo, o estado de Minas Gerais já havia concedido essa isenção para a fonte solar fotovoltaica em 2017. Isso impulsionou a GD no Estado, fato que o tornou líder nacional na modalidade, com 863 MW de potência instalada, afirma Vieira.

“A aprovação dessa lei é um passo importante na busca pela isonomia entre as fontes, igualando as oportunidades para todos os geradores de energia limpa da região.”

Marina Meyer, diretora jurídica da ABGD, acrescenta:

“O passo seguinte é a ratificação da isenção pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz), para finalizar o processo e o incentivo ser concedido.”

*Foto: Divulgação/SDE

Carros elétricos ganham novas redes de abastecimento no país

carros elétricos ganham novas redes de abastecimento no país

Pontos públicos de abastecimento para carros elétricos terá ainda uma rede de vagas que oferecem recarga em várias regiões do Brasil

De uns anos para cá, tem-se falado muito nos benefícios dos carros elétricos. Apesar do preço mais elevado, em termos de sustentabilidade para o planeta eles são os veículos mais indicados. No entanto, este é ainda um dos obstáculos para a escolha dos consumidores, em razão dos preços praticados pelo mercado brasileiros para carros híbridos e elétricos.

Carros elétricos no Brasil – iniciativas positivas

Em contrapartida, algumas iniciativas prometem tornar o abastecimento dos carros elétricos mais acessível. É o caso da empresa Cemig SIM, que lançou um programa para contribuir para expansão. Portanto, pode haver uma popularização deste tipo de veículo em Belo Horizonte, onde está situada a companhia. A iniciativa aqui acontece por meio do uso de energia sustentável em eletropostos.

Pontos públicos de abastecimento

A empresa implantará três pontos públicos de recarga na capital mineira. São eles: no Mercado Central, no supermercado Super Nosso (unidade Lourdes), e na concessionária AvantGarde (Bairro Santa Lúcia).

Por enquanto, os eletropostos poderão ser utilizados por todos e sem custo de carregamento. Sendo assim, os interessados podem baixar o aplicativo “SIM Charger”, via Android e Apple.

Outra novidade é que a SIM também está realizando um projeto piloto, para compartilhamento de carros elétricos de aluguel. O objetivo é oferecer opções para a expansão do consumo de energia sustentável, de matriz limpa e bem mais econômica, em todo o estado, mas com o foco, também, no território brasileiro.

Ecovagas – Enel X

Contudo, uma rede de abastecimento para veículos elétricos com 250 estações de recarga nas regiões Sul, Sudeste, Nordeste e Distro Federal está prevista para ficar pronta até o mês que vem. O projeto é uma parceria entre a Enel X, empresa de soluções energéticas da Enel Brasil, e a rede de estacionamentos Estapar.

Por meio de um acordo estratégico, as duas companhias viabilizarão Ecovagas em estacionamentos selecionados. Os equipamentos a serem instalados fornecem um carregamento inteligente semi-rápido, abastecendo 80% da bateria de um automóvel elétrico e híbridos plug-in em aproximadamente 3 horas.

Visualização em tempo real

Além disso, os clientes poderão visualizar os pontos Ecovaga em tempo real e recarregar seu veículo em poucos minutos. Nos grandes centros urbanos, 90% das cargas necessárias para garantir a volta para casa são de apenas 30 minutos.

Vale ressaltar que as Ecovagas são vagas exclusivas e sinalizadas para os carros elétricos. Portanto, o acordo entre a Enel X e a Estapar prevê que o serviço de carregamento de veículos seja gratuito para os clientes das empresas parceiras do projeto, principalmente as empresas do setor automotivo.

Assinatura mensal

O serviço funciona por meio de assinatura mensal. No caso, as montadoras e outros interessados podem oferecer este benefício a seus clientes proprietários de carros elétricos de suas marcas.

Gratuidade

Mas para usufruir da gratuidade, o usuário deverá se cadastrar no app Vaga Inteligente da Estapar. Isso serve para confirmar a sua elegibilidade de acesso ao sistema Ecovagas. Neste caso, o proprietário não terá nenhum custo adicional além do valor de estacionamento do seu veículo, durante o período do benefício.

Expansão da rede

No futuro, a parcerias entre as duas empresas pretende expandir a quantidade de pontos da rede de recarga Ecovagas. Isso inclui outros locais, como restaurantes, além de outras redes de estacionamento e locais públicos.

*Foto: Divulgação

Conheça o 1º estacionamento gratuito para carros híbridos e elétricos

conheça o 1º estacionamento gratuito para carros híbridos e elétricos

O 1º estacionamento gratuito para carros híbridos e elétricos acaba de ser inaugurado em São Paulo. O espaço pertencente à empresa Volvo possui placas solares que alimentam as tomadas e, consequentemente, geram energia limpa.

Estacionamento gratuito para carros híbridos e elétricos

Apesar da compra de carros elétricos ainda ser restrito a uma pequena parcela da população do Brasil, a Volvo está empenhada em alcançar esse público.  

O estacionamento gratuito para carros híbridos e elétricos fica no Brooklin, bairro nobre da capital paulista. Batizado de Recharge Station, o local dispõe de uma área de convivência com mesas, bancos e internet wi-fi. Já as placas fotovoltaicas geram energia limpa para alimentar as tomadas, o que também confere maior sustentabilidade.

Novas experiências com o 1º estacionamento gratuito para carros híbridos

A fim de promover estas novas experiências na cidade, a Volvo esteve na Avenida Paulista entre os dias 15 e 25 de outubro. Com o projeto Experience Lab, moldado em um aspecto futurista, o espaço apresentou a estratégia de eletrificação da marca. Além dos principais recursos do modelo XC40 Recharge (SUV compacto elétrico) que promete chegar ao país no segundo semestre de 2021. Sobre isso, o diretor de marketing Latam Hub para Volvo Car Brasil, Rafael Ugo, explica:

“O local mostrou um pouco de um futuro muito próximo para a marca com nosso primeiro modelo 100% elétrico. Foi o primeiro contato das pessoas com nosso veículo que não emite poluentes.”

Espaço de convivência urbana

Além do estacionamento gratuito para carros híbridos e elétricos, outro projeto da fabricante sueca foi realizado no fim de setembro. Sendo assim, a ação transformou um posto de combustíveis e um espaço de convivência urbana. O local foi cercado por plantas com a finalidade de levar as pessoas a refletirem como seria um mundo sem carros movidos a combustíveis fósseis. Eles ainda chamaram a iniciativa de um “posto para recarregar-se de natureza”.

Entretanto, todos os veículos elétricos e plug-in hybrid, de qualquer marca e modelo, podem aproveitar uma hora de estacionamento sem custo enquanto são carregados.

Momento de inovação

Porém, não é de hoje que a empresa Volvo se preocupa com o meio ambiente. Há três anos, ela anunciou que colocaria a eletrificação no centro de seus negócios. Sendo assim, atualmente, qualquer modelo da marca já possui uma versão híbrida. Ela ainda afirma que qualquer veículo Volvo no modo Hybrid emite 60% menos CO2 do que um carro convencional.

Em 2015, a fabricante sueca lançou em Londres um spray que brilha no escuro para proteger ciclistas no trânsito. Além disso, ela lançou também um capacete inteligente que avisa o ciclista e motorista sobre proximidade entre os veículos.

Parceria com o Waze

Recentemente, a empresa firmou uma parceria com o Waze e todos os eletropostos da marca estão disponíveis na plataforma.

Portanto, basta digitar “Eletroposto Volvo” e traçar a rota para o ponto mais próximo. Hoje, a companhia tem 350 eletropostos instalados e promete chegar a 700 pontos até o fim de 2020.

Além do 1º estacionamento gratuito para carros híbridos e elétricos, outras metas da Volvo incluem: garantir que metade dos modelos sejam 100% elétricos e a outra metade sejam híbridos até 2025. Com isso, ela deve neutralizar toda a operação até 2040.

*Foto: Divulgação

Redes de pesca são transformadas em produtos ecológicos no RS

redes de pesca são transformadas em produtos ecológicos em sc

Redes de pesca passaram a ser matéria prima para outros produtos a partir de 1998

Em diversas regiões do Brasil, a sustentabilidade tem sido evidenciada sobre vários aspectos. E, especificamente, há mais de 40 anos ela ocorre pelas mãos da desenvolvedora e fomentadora Nara Guichon, 65 anos.  Nascida em Santa Maria, ela também é pela artista plástica, ambientalista e designer têxtil. E seu atelier de moda ética e sustentável no estado catarinense foi fundado em 1983.

Redes de pesca como matéria prima ecológica

A partir de 1998, Nara percebeu o grande número de redes de pesca industrial que eram descartadas incorretamente. Portanto, esta atitude gerava a poluição de todo um ecossistema em larga escala no Brasil. Ela explica que as redes de poliamida são tão resistentes que levam centenas de anos para se decompor. Sendo assim, quando elas são simplesmente jogadas nos oceanos, se transformam em uma ameaça real à fauna e à flora marítima.

Quase 10% do lixo marítimo são provenientes da indústria pesqueira

Segundo os dados da Organização das Nações Unidas para a alimentação e agricultura (FAO), quase 10% do lixo marítimo são provenientes da indústria pesqueira. Sendo assim, Nara começou a desenvolver um projeto de reaproveitamento do material composto por poliamida, que até então não é reciclado no Brasil.

Esfregões ecológicos

A partir desta iniciativa surgiram os esfregões ecológicos. Este produto é ideal para limpeza pesada e ainda substitui os produtos de plástico e que, consequentemente, possuem menor durabilidade. Mesmo quando o esfregão ecológico já foi utilizado por mais de seis anos, ele ainda se mantém na mesma gramatura. Isso quer dizer que durante todo este tempo ele não liberou microplásticos. Sobre isso, a artesão reforça:

“Numa sociedade cada vez menos conectada aos valores naturais, o artesanato feito com materiais que, de outro modo seriam descartados, se mostra como uma forma de retorno às origens. O contato com os elementos minerais e vegetais, assim como o novo olhar sobre objetos descartados ou indesejados, pode revolucionar a nossa economia e a forma como interagimos como sociedade.”

Festival de Alimentação Orgânica

Em 2014, durante o Festival de Alimentação Orgânica, Marcella Zambardino, co-CEO da Positiv.a, empresa C que cria soluções para cuidar da casa, corpo e natureza, conheceu Nara.

O encontro resultou em uma parceria promissora. Sendo assim, a Positiv.a se tornou uma representante exclusiva dos esfregões ecológicos. No total, ao longo dos últimos seis anos, a Positiv.a já vendeu 476,3 kg de produtos feitos a partir das redes de pesca reutilizadas. Já a Nara e sua equipe reusam em média 2 toneladas de rede de pesca ao ano.

Outros itens ecológicos

Além disso, as redes de pesca reutilizadas pela artesã gaúcha também serviram como base para a criação de saquinhos. Com isso, o objetivo é substituir as embalagens comuns de plástico. Portanto, estes itens ecológicos podem ser utilizados para fazer compras a granel, como nécessaire, porta acessórios ou até mesmo como separador de roupas em malas de viagem.

A empresa pretende ampliar essa linha de produtos. Já no atelier de Nara, as redes de pesca também se transformam em esponjas, colares, roupas e xales.

*Foto: Divulgação

Retorna Machine troca reciclável por dinheiro em conta digital

retorna machine troca reciclável por dinheiro em conta digital

Iniciativa da Triciclo, o sistema Retorna Machine se integra ao Pagbank, da PagSeguro, para usuários poderem trocar pontos do programa de fidelidade por valor em conta digital

O programa de fidelidade Retorna Machine, da empresa Triciclo, que possui pontos de coleta de recicláveis espalhados por diversos estados do país se uniu ao Pagbank, o banco digital do PagSeguro. A razão da parceria é que os usuários do sistema de reciclagem e sustentabilidade poderão trocar pontos por dinheiro em conta da fintech.

Retorna Machine – como funciona

A Retorna Machine possui máquinas em que as pessoas depositam embalagens pós-consumo. Os pontos de coleta estão em várias localidades do país, como na cidade de Cuiabá.

A Triciclo já concedia benefícios aos consumidores, operando como um plano de fidelidade ambiental. Sendo assim, o usuário cria uma conta digital, gratuitamente, pelo site ou pelo app “Triciclo”, e ao depositar embalagens na Retorna Machine recebe pontos.

Cada material depositado vale uma pontuação. Por exemplo: a embalagem de alumínio vale 15 pontos, a de aço 10 pontos, garrafas PET 10 pontos, longa vida e vidro 5 pontos. Portanto, a cada vez que a pessoa descartar o material nas máquinas receberá os pontos diretamente em sua conta triciclo.

Troca por benefícios

Os pontos adquiridos podem ser trocados por benefícios, como: descontos em farmácia, recarga de celular, redes de papelaria, ou simplesmente transformados em doações a organizações sociais. Com a parceria com o Pagbank, agora é possível transformar os pontos em dinheiro.

Retorna Machine e Pagbank

A parceria entre a Retorna Machine e o Pagbank proporciona aos clientes uma conta digital também gratuita, aberta tanto pelo site ou via app (Android e iOS). A integração dos dois sistemas permite que o usuário Triciclo converta seus pontos em dinheiro na conta Pagbank. Com isso, ele também poderá fazer transferências sem custo algum, além de quitar contas, sacar dinheiro no Banco 24 horas, e recargas em vários serviços, como: Google Play, Spotify, Uber, ou ainda pedir um Cabify, entre outros benefícios.

Para quem já possui conta no Triciclo, basta acessar o app e selecionar a opção “Pagbank” no menu.

No entanto, neste primeiro acesso entre as duas empresas será preciso criar e/ou vincular uma conta Pagbank à conta triciclo. A operação é simples e rápida. Após a conexão entre ambas, estará disponível a opção de trocar pontos triciclo por crédito no Pagbank, na ordem de 100 pontos por R$ 0,15 (quinze centavos).

Qual o valor do “lixo” doméstico?

De acordo com o diretor executivo da Triciclo, Felipe Cury:

“A parceria e integração com o Pagbank sobreleva a percepção pública do valor que o ‘lixo’ doméstico possui, na medida em que facilmente transforma aquela embalagem usada em dinheiro. Certamente é uma ação que, além dos benefícios ambientais e educacionais, terá uma função econômica e social de complementar renda, ainda mais neste momento de calamidade pública.”

Ele ressalta ainda que há uma opção de login por QR Code, onde “o usuário, se quiser, não precisa mais clicar na tela da Retorna para fazer o login e reciclar. É uma medida de prevenção e combate ao COVID-19, viabilizando a limpeza urbana e ações de reciclagem com segurança”.

Programa de fidelidade ambiental

A Triciclo possui outras máquinas, além da Retorna Machine, que também integram o programa de fidelidade ambiental. São elas: Recicla Pharma e Deixaki. Essas máquinas estão distribuídas em locais públicos e privados, nos estados de São Paulo, Mato Grosso, Rio de Janeiro e Amazonas.

Coleta

Todo material depositado nestas máquinas são tratados pela própria Triciclo e em seguida enviados a cooperativas e empresas de reciclagem.

O Projeto Retorna Machine está em funcionamento há quatro anos e já coletou mais de seis milhões e meio de embalagens. Sendo assim, ele gera fonte de renda, matéria-prima, além de trabalho nos estados em que atua.

Regras do Programa Triciclo de Fidelidade e Recompensa

O interessado deve criar uma conta digital triciclo, gratuitamente, por meio da própria Retorna Machine, pelo site Triciclo ou pelo app (Android e iOS). Com isso, o usuário começa a pontuar e receber os créditos.

Na sequência, basta se dirigir a um ponto de coleta da Retorna Machine, Recicla Pharma e/ou entregar seus materiais recicláveis em um Deitaki, sempre que desejar. No entanto, vale lembrar que no caso do recolhimento da embalagem pela Retorna ou Recicla, é preciso que a mesma contenha o código de barras legível para reverter em pontuação no sistema.

Cada conta triciclo pode depositar até 10 embalagens por dia para acumular pontos. Além disso, a partir do 11º resíduo no dia, os pontos são automaticamente doados para as instituições filantrópicas em igual proporção. Os pontos têm validade de 180 dias, contados da data de acúmulo.

*Foto: Divulgação