PEC da Transição no Congresso: quais os próximos passos?

PEC da Transição no Congresso

PEC da Transição no Congresso que retira do teto de gastos as despesas com o Bolsa Família por quatro anos foi protocolada no Senado na segunda-feira (28)

A maior preocupação do governo eleito para garantir o cumprimento de promessas de campanha é aprovar a PEC da Transição nas próximas semanas. A expectativa do autor da proposta, senador Marcelo Castro (MDB-PI), é que o texto de ordem política tenha o aval dos parlamentares até 16 de dezembro.

PEC da Transição no Congresso

A PEC da Transição no Congresso, que retira do teto de gastos as despesas com o Bolsa Família (atual Auxílio Brasil) por quatro anos, foi oficialmente protocolada no Senado nesta segunda-feira, 28. Entretanto, ainda será discutida — e muito provavelmente alterada — no Congresso.

Próximos passos

Confira a seguir os próximos passos que a proposta precisará percorrer nas próximas semanas:

  • Assinaturas: por ter sido apresentada por um senador, a proposta começará a tramitar pelo Senado. Contudo, para isso, a PEC precisa da assinatura de 27 senadores (um terço do total). Só assim o projeto terá uma numeração própria;
  • CCJ do Senado: A primeira fase de tramitação da PEC é a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. O colegiado, formado por 27 senadores, deve propor alterações no texto. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), designará o relator, responsável por apresentar o parecer que será votado na comissão. Para ser aprovado na CCJ, o texto precisa dos votos favoráveis de mais da metade dos senadores presentes (maioria simples);
  • Plenário do Senado: após passar pela CCJ, a PEC será analisada pelos 81 senadores no plenário. Os parlamentares podem aprovar um texto diferente do proposto inicialmente. Para aprovação, são necessários os votos favoráveis de 49 senadores (três quintos do total), em dois turnos de votação. É possível aprovar o texto na CCJ e no plenário no mesmo dia, desde que haja acordo para quebra de interstício (intervalo exigido pelo regimento entre as sessões);
  • Plenário da Câmara: se a proposta for aprovada pelos senadores, será encaminhada à Câmara. No caso da PEC da Transição, o trâmite será simplificado entre os deputados, porque o texto será apensado (anexada) à PEC 24/2019, que já passou por comissão e está pronta para votação no plenário. Para aprovação, são necessários os votos favoráveis de 308 deputados (três quintos do total), em dois turnos de votação. Se os deputados mudarem o texto de forma substancial, ele precisará voltar para nova avaliação do Senado;
  • Promulgação: após aprovação nas duas Casas, a PEC será promulgada em forma de emenda constitucional em uma sessão do Congresso Nacional e publicada no Diário Oficial. PECs não precisam da sanção do presidente da República.

*Foto: Reprodução

Expansão do sinal 5G: Brasil avança

Expansão do sinal 5G

Expansão do sinal 5G já é uma realidade, ativa em todas as capitais, segundo informações do MCom

Há um ano, no dia 4 de novembro de 2021, o Brasil acompanhou o maior leilão de telecomunicações da história do país: a licitação das faixas de radiofrequências do 5G, realizada pelo Ministério das Comunicações (MCom) e Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Expansão do sinal 5G

Hoje, a nova geração de internet móvel é uma realidade em todas as capitais brasileiras. Agora, há a expansão do sinal 5G, uma vez que outras 480 cidades se preparam para ativar o sinal, destaca a divulgação oficial. Já são mais de 6,6 mil antenas de 5G espalhadas por todo país para garantir conexão nas faixas de 2,3 GHz; 3,5 GHz e 26 GHz. As estações levam a tecnologia a 50 milhões de pessoas e potencializam transformações digitais.

Dados oficiais

Vale lembrar que Brasília foi a primeira cidade a receber o sinal, na faixa de 3,5 GHz, em julho deste ano. A capital que se tornou pioneira no 5G se destaca, atualmente, por ter a segunda velocidade de download mais rápida do mundo na conexão 5G: em média, 369,5 MB/s, perdendo apenas para a Coreia do Sul (447,4 MB/s). O ranking é de relatório elaborado pela Opensignal, segundo o Ministério das Comunicações (MCom).

Além disso, depois da ativação da nova tecnologia em Brasília, gradativamente, as outras sedes estaduais iniciaram suas conexões e, em outubro, todas as capitais já estavam com a quinta geração de internet móvel ativa. A chegada do sinal a essas cidades ocorreu antes mesmo do prazo previsto pela Anatel.

Limpeza de faixa

O Ministério das Comunicações (MCom) informa que o 5G agora avança para as 26 cidades com mais de 500 mil habitantes e regiões metropolitanas, que somam 454 municípios.

Para essas localidades, já foi liberada a limpeza da faixa de 3,5 GHz (principal usada para o 5G) e iniciadas as ações para migração da recepção de TV aberta por antena parabólica, da banda C para a banda Ku.

Grupo de Acompanhamento

Tal deliberação foi tomada, em outubro, pelo Grupo de Acompanhamento da Implantação das Soluções para os Problemas de Interferência na faixa de 3.625 a 3.700 MHz (Gaispi), conforme divulgação oficial.

A ação de limpeza é imprescindível para mitigar as interferências nas estações receptoras do Serviço Fixo por Satélite. Com a migração, é aberto caminho para uma possível antecipação da liberação da faixa nesses municípios.

Nova era de conectividade

A tecnologia 5G inaugura no Brasil uma nova era de conectividade. Com conexão ultrarrápida, baixa latência e capacidade para múltiplos dispositivos. Por fim, o 5G fomenta inovação em diversos setores e impulsiona o desenvolvimento econômico, destaca o Ministério das Comunicações (MCom).

*Foto: Reprodução

Doações milionárias e ESG: franquia atrai geração Z com receita de R$ 70 milhões

Doações milionárias e ESG

Doações milionárias e ESG fez da Megamatte, uma rede de bebidas e comidas saudáveis, uma empresa com práticas sociais e itens orgânicos na produção

Uma das primeiras redes de franquias do Brasil a se tornar signatária do Pacto Global da ONU, uma iniciativa que reúne companhias dispostas a adotarem melhores práticas de sustentabilidade e meio ambiente, a Megamatte já segue a toada da responsabilidade social há pelo menos seis anos.

Doações milionárias e ESG

Porém, foi em 2018 que a rede de comidas de bebidas saudáveis percebeu que o caminho para alcançar novos públicos seria por meio de uma redefinição cultural da porta para dentro.

Desde então, todos os funcionários passaram a ser informados, desde o onboarding, sobre a missão central da empresa: geração de rentabilidade a partir da valorização da agricultura familiar e do meio ambiente.

Por que ser ESG?

Além disso, o intuito era alinhar expectativas e encontrar apenas os funcionários com maior afinidade com a razão de ser da empresa. É o que revela Julio Monteiro, CEO da Megamatte:

“Ter um time alinhado ao que pregamos na teoria é o que, na ponta, permite adaptações nos processos operacionais em si.”

Treinamento de funcionários

Como exemplo, estão treinamentos recorrentes de funcionários e franqueados, com destaque para encontros educativos durante a pandemia que tiveram a finalidade de comunicar as intenções da empresa de priorizar o equilíbrio. E isso seja na relação dos franqueados com seus clientes, seja pela atenção primária à saúde mental dos funcionários — nos anos mais agravantes da pandemia, a Megamatte não demitiu ninguém.

Tal conduta possui um valor especial às gerações mais jovens, atentas ao posicionamento de empresas e marcas a temas sensíveis como a relação com empregados — no Brasil, 61% deles consideram o tema como indispensável no dia a dia de empresas, segundo estudo da agência Edelman com mais de 13.700 respondentes.

Juventude

Por outro lado, a Megamatte também aposta na saudabilidade do cardápio como forma de atender aos mais jovens com interesse crescente pela transparência nos rótulos e impacto social por trás dos produtos. Uma forma de fazer isso é priorizar os itens originários da agricultura familiar, reforça Monteiro.

“Hoje, só vendemos produtos livres de agrotóxicos e com certificações que comprovam as boas condutas.”

Geração de impacto

O compromisso com a geração de impacto também se traduz em números: desde 2015, a Megamatte já investiu mais de 3,2 milhões de reais em projetos sociais.

“O mais importante para essa geração e para o mercado é não ser uma empresa greenwashing. É isso que priorizamos.”

Por fim, as ações também se refletiram nas contas da empresa. Em 2021, a rede faturou R$ 70 milhões e em 2022, as receitas devem chegar a R$ 96 milhões.

*Foto: Reprodução

Paralisia infantil no Pará: suspeita é em criança de 3 anos

Paralisia infantil no Pará

Paralisia infantil no Pará, assim como no resto do Brasil foi erradicada em 1989, graças à obtenção de altas coberturas vacinais

A Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa) notificou ao Ministério da Saúde que investiga uma suspeita de paralisia infantil em um menino de 3 anos de idade, do município de Santo Antônio do Tauá, no nordeste do estado.

Paralisia infantil no Pará

Além disso, em comunicação de risco do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde, a secretaria pondera que outras hipóteses diagnósticas não foram descartadas, como a Síndrome de Guillain Barré.

Entretanto, a suspeita de paralisia infantil no Pará se dá em razão da detecção do poliovírus nas fezes do paciente. O exame foi realizado diante da apresentação de sintomas como paralisia nos membros inferiores.

Sintomas

A criança começou a apresentar os sintomas em 21 de agosto, com febre, dores musculares, mialgia e um quadro de paralisia flácida aguda, um dos sintomas mais característicos da poliomielite. Dias depois, perdeu a força nos membros inferiores e foi levada por sua responsável a uma Unidade Básica de Saúde (UBS) no dia 12 de setembro.

Já a Sespa informou que presta toda a assistência ao paciente, que se recupera em casa, e que atua para a rápida investigação e esclarecimento do caso.

Vacina

A poliomielite não possui tratamento, mas o Programa Nacional de Imunizações (PNI) dispõe de vacinas seguras e eficazes que devem ser utilizadas para proteger crianças desde o primeiro ano de vida. Em geral, o PNI recomenda que a vacina injetável intramuscular seja administrada aos 2, 4 e 6 meses de idade, conferindo uma imunidade que só é reforçada aos 15 meses e aos 4 anos, com as gotinhas da vacina oral, ou em campanhas de vacinação anuais como a realizada recentemente.

Erradicação

Contudo, graças à obtenção de altas coberturas vacinais, a doença foi erradicada no Brasil. Sendo assim, a paralisia infantil teve seu último caso reportado no país em 1989. E em 1994, o continente americano recebeu a certificação de área livre de circulação do Poliovírus selvagem da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

Queda das coberturas vacinais

Por outro lado, houve, a partir de 2016, houve a queda das coberturas vacinais contra a doença. Desde então, têm gerado alertas de especialistas de que o país poderia voltar a registrar casos de pólio, que pode causar morte e sequelas motoras irreversíveis.

Segundo o Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI), as doses previstas para a vacina intramuscular contra a pólio atingiram a meta de 95% do público-alvo pela última vez em 2015, quando a cobertura foi de 98,29% das crianças nascidas naquele ano.

Porém, após 2016, a cobertura caiu para menos de 90%, chegando 84,19% no ano de 2019. Em 2020, a pandemia da covid-19 impactou as coberturas de diversas vacinas, e esse imunizante chegou a apenas 76,15% dos bebês. Em 2021, o percentual ficou abaixo de 70% pela primeira vez, com 69,9%. No Pará, onde foi registrada a suspeita, o percentual foi ainda menor, de 55,73%.

Fora do Brasil

Todavia, essa questão não se aplica apenas ao Brasil. Sendo assim, a Organização Pan-Americana de Saúde listou o país e mais sete nações da América Latina como áreas de alto risco para a reintrodução da doença.

O vírus selvagem da poliomielite também voltou a circular no continente africano LINK 1, e a cidade de Nova York, nos Estados Unidos, notificou um caso de poliomielite com paralisia em um adulto que não teria viajado para o exterior.

Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite

Por fim, o Ministério da Saúde realizou entre 8 de agosto e 30 de setembro a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, mas a meta de imunização não foi atingida. O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse ontem (5) que o país vai atingir o objetivo de vacinar 95% das crianças menores de 5 anos de idade contra a poliomielite, porém, estimou que a cobertura vacinal está em torno de 60%.

*Foto: Reprodução

Programa de soluções de impacto avança em Jundiaí

Programa de soluções de impacto

Programa de soluções de impacto no município do interior paulista abrange fase do Programa de Aceleração de Negócios de Impacto do IdeiaGov

Mais uma vez a cidade de Jundiaí, no interior paulista, participou de uma fase do Programa de Aceleração de Negócios de Impacto do IdeiaGov. O projeto criou um laboratório de inovação do governo do Estado, para avaliar as propostas feitas por 30 parceiros da iniciativa privada, com foco no fomento à inovação de impacto social por meio da aceleração de soluções inovadoras para os desafios enfrentados pela administração pública.

Programa de soluções de impacto

O programa de soluções de impacto foi realizado na sede do IdeiaGov, em São Paulo, e contou com palestras de especialistas nos temas de sustentabilidade no Poder Público, análise de dados para a tomada de decisões e experiência do cidadão com os serviços públicos.

Comissão

Além disso, a comissão de avaliação foi composta por representantes dos municípios participantes do desafio. Entre eles, representando Jundiaí, está o diretor do Departamento de Planejamento, Gestão e Finanças da Unidade de Gestão de Assistência e Desenvolvimento Social (UGADS), Lucas Rodrigues.

Na ocasião, 30 empresas realizaram suas apresentações e as cinco startups mais bem avaliadas – nos critérios: empreendedor e equipe, inovação e diferenciação, modelo de negócio e impacto – foram premiadas como destaques.

Ainda de acordo com Lucas Rodrigues:

“A participação de Jundiaí é motivada pela visão de trazer inovação à gestão municipal, utilizando de parcerias e trabalho em rede para ampliarmos o alcance das nossas ações e a qualidade dos serviços prestados aos cidadãos. Conseguir soluções piloto sem custos aos cofres públicos, como essa oportunidade que o IdeiaGov nos oferece, nos auxilia a ser cada vez mais assertivos nas eventuais futuras contratações.”

Próximos passos

Como próximos passos, startups e municípios trabalharão as afinidades detectadas entre os desafios públicos e soluções propostas. Além disso, uma ou mais startups poderão ser incubadas em um dos ambientes de inovação do Campus Jundiaí, pelo período de três meses, em troca de um atestado de capacidade técnica para a iniciativa.

Além da UGADS, também estão envolvidos no programa como representantes da Prefeitura a Unidade-Adjunta de Governo da Unidade de Gestão de Governo e Finanças (UGGF) e a Unidade de Gestão de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia (UGDECT).

*Foto: Reprodução

Rock in Rio sustentável: 70% do público se interessa pelo tema

Rock in Rio sustentável

Rock in Rio sustentável, segundo levantamento, mais da metade do público se interessa por sustentabilidade, além da preservação do meio ambiente

De acordo com um levantamento feito pelo instituto Datafolha, a pedido da empresa de papel e celulose Suzano, revela que a maior parte do público do Rock in Rio se interessa por temas como sustentabilidade e preservação do meio ambiente.

Rock in Rio sustentável

E para um Rock in Rio sustentável, a pesquisa entrevistou 412 pessoas durante o primeiro dia do festival. Desse total, 29% dos entrevistados afirmaram ter “um pouco” de curiosidade sobre o tema.

Além disso, das pessoas ouvidas, 70% disseram que se interessam por um planeta mais sustentável, ante os já citados 29% que afirmaram ter “um pouco” de curiosidade sobre o assunto. Contudo, somente 1% alegou não ter nenhum tipo de interesse em sustentabilidade.

Primeiro dia do festival

O primeiro dia do festival, que retomou suas atividades após dois anos de pandemia, ocorreu na última sexta-feira (2). Sendo assim, pode haver uma margem de erro para o total da amostra nacional da pesquisa de 5 pontos para mais ou para menos.

Desse público, 54% responderam que o material ideal para se utilizar em embalagens de produtos é o papel.

Por outro lado, a segunda opção mais votada foi o vidro, com 21%. Em terceiro lugar aparece o plástico, com 12%, e em último lugar o alumínio, com 8%.

Compra de produtos sustentáveis

Esses mesmos entrevistados também responderam sobre o hábito de comprar produtos sustentáveis. Desse total, 21% alegaram que compram esse material sempre. Enquanto isso, 61% afirmaram que adquirem este tipo de produto às vezes. Por fim, 12% afirmaram que raramente adquirem itens do tipo e 6% disseram que não costumam comprá-los.

*Foto: Reprodução

Leilões de julho: Ministério da Justiça coleta quase R$ 13 milhões

Leilões de julho

Leilões de julho totalizaram 32, feitos pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas e Gestão de Ativos (Senad)

Durante o mês de julho, mais de R$ 12,8 milhões foram arrecadados, com os 32 leilões realizados pela Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas e Gestão de Ativos (Senad), do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Leilões de julho

Além disso, na lista, 709 ativos dos leilões de julho, que vão de imóveis e carros a bens menores, como celulares e joias, foram destinados à venda pela metade do valor de avaliação em 13 estados e no Distrito Federal. Isso tudo acaba por movimentar a economia do país.

De acordo com nota do Ministério da Justiça:

“O valor arrecadado com a descapitalização de criminosos volta para a sociedade por meio de investimentos em políticas de segurança pública e de combate às drogas e capacitação de profissionais e projetos em âmbito nacional. E também com a destinação de equipamentos para os órgãos integrantes do Sistema Único Segurança Pública, como as polícias militares e civis e corpos de bombeiro militar.”

Imóveis e veículos

Entre os cinco imóveis leiloados em julho está uma fazenda de mais de 970 hectares em Barra do Garças, Mato Grosso.

As terras foram avaliadas em mais de R$ 5 milhões e o lance inicial foi estipulado em R$ 2,575 milhões. O imóvel foi arrematado por mais de R$ 6 milhões.

Já em relação ao leilão de 184 veículos, entre carros, motocicletas e sucatas, arrecadou R$ 3 milhões. O destaque foi uma aeronave modelo 210M (Centurion II), fabricada no ano de 1978. O monomotor, avaliado em R$ 570 mil, foi arrematado por R$ 1,221 milhão. Nesse caso, o lance inicial foi R$ 285 mil, de acordo com o Senad.

Outro item vendido foi um utilitário modelo Jeep G Cherokee avaliado em R$ 47,9 mil, que saiu por R$ 50 mil. O lance mínimo era de R$ 23,9 mil.

Itens de menor valor

Por outro lado, itens de menor valor como celulares, joias, capacetes e pallets de madeira e até mesmo uma prensa hidráulica, um trator Valmet também foram arrematados e responderam pela arrecadação de mais de R$ 56 mil.

Arrecadação no ano além dos leilões de julho

Até julho deste ano, o Ministério da Justiça arrecadou mais de R$ 63 milhões, em 197 leilões.

Entre janeiro e julho, mais de 3,5 mil ativos foram arrematados.

Por fim, o Ministério da Justiça afirmou:

“Os interessados em adquirir os ativos que ainda estão disponíveis para lances devem acessar a página do Ministério da Justiça e Segurança Pública, que irá direcioná-los aos sites dos leiloeiros parceiros da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas.”

*Foto: Reprodução

Atualizações do WhatsApp: saibas quais foram anunciadas

Atualizações do WhatsApp

Atualizações do WhatsApp têm o intuito de entrar em vigor ainda no mês de agosto, com recursos que podem proporcionar a experiência do usuário mais segura

Na terça-feira (9), o aplicativo de mensagens, WhatsApp, anunciou mudanças importantes nas ferramentas de privacidade da plataforma.

Atualizações do WhatsApp

Além disso, o anúncio das atualizações do WhatsApp integraram um comunicado da empresa, que dizia o seguinte:

“Ao longo dos anos, adicionamos novas camadas de privacidade para oferecer diversas maneiras de proteger suas mensagens, incluindo as mensagens temporárias (que apagam sozinhas), os backups criptografados de ponta a ponta (que guardam seu histórico de conversas), a verificação em duas etapas e a possibilidade de bloquear conversas indesejadas.”

Padrão de privacidade para as atualizações do WhatsApp

Contudo, para manter o padrão de privacidade e tornar a troca de mensagens mais segura e particular, o WhatsApp informou que novos recursos serão ativados ainda neste mês de agosto. confira a seguir.

Saia de grupos silenciosamente

A partir de agora, o usuário poderá sair dos grupos do WhatsApp sem notificar os outros participantes. Mas, os administradores saberão que a pessoa saiu do grupo.

Escolha quem pode ver você online

Por outro lado, o usuário poderá escolher qual contato irá vê-lo online no aplicativo na hora de iniciar uma conversa.

Bloqueio de capturas de tela para mensagens de visualização única

Este recurso ainda está em teste, porém, propõe que o usuário não possa realizar uma captura de tela quando receber uma mensagem de visualização única.

Combate a fake news

Por fim, vale ressaltar que no mês de abril, com o intuito de gerar limites ao encaminhamento de mensagens, a plataforma estipulou uma nova. No caso, há restrição para mais de um grupo. O objetivo é dificultar o compartilhamento de fake news.

*Foto: Reprodução

Imposto de importação de 13 produtos: Governo reduz entre medicamentos e lúpulo para cerveja

Imposto de importação de 13 produtos

Imposto de importação de 13 produtos tem o intuito de evitar o desabastecimento no mercado interno. Taxas caíram para entre 0% e 6,5%

Na última sexta-feira (15), a Câmara de Comércio Exterior (Camex) aprovou a redução do Imposto de Importação de 13 produtos para taxas entre zero e 6,5%. A lista inclui remédios, equipamentos médicos, tinta para impressão de livros, lentes de contato, lúpulo para cervejarias e resina de polipropileno.

Redução de imposto de importação de 13 produtos

Sendo assim, a partir da decisão da pasta de economia, medicamentos contendo olaparibe, usados no tratamento de cânceres de mama, ovário e próstata, terão a tarifa de importação zerada. O mesmo valerá para remédios que têm em sua composição brometo de tiotrópio monoidratado e cloridrato de olodaterol – broncodilatador indicado para o tratamento da Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC).

O governo também cortou, de 16% para zero, as alíquotas de importação de dois dispositivos médicos: um endovascular, que dissolve e elimina trombos; e outro para cirurgia médica endovascular assistida por robótica, que envolve cateteres, stents coronários e vasculares periféricos, entre outras situações médicas.

Desabastecimento – como evitar

Contudo, para evitar o desabastecimento, a Camex aprovou a redução para zero do Imposto de Importação de fio de alta tenacidade de poliéster; extrato de lúpulo; um tipo de filtro solar; e dois sistemas — um prótese valvular cardíaca e outro de fixação de eletrodo no crânio, para casos de Doença de Parkinson.

Além disso, o mesmo motivo será para: tintas pretas e coloridas para impressão de livros e lentes de contato de silicone hidrogel, que tiveram as tarifas de importação reduzidas para 2%.

Resina de polipropileno

Por fim, a resina de polipropileno está com uma tarifa de 6,5%. O produto é utilizado na fabricação de itens para diversos segmentos da indústria, como aplicações em embalagens flexíveis, sacos para grãos e fertilizantes, cadeiras plásticas, brinquedos, eletrodomésticos e autopeças, entre outros usos.

*Foto: Unsplash/Myriam Zilles

Escola de Sustentabilidade é inaugurada em Curitiba

Escola de Sustentabilidade

Escola de Sustentabilidade será conduzida pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente da cidade

Curitiba (PR) acaba de lançar uma Escola Municipal de Sustentabilidade. O espaço fica no Bosque Zaninelli, e o espaço vai promover cursos e capacitações sobre temas ambientais.

Escola de Sustentabilidade

De acordo com o prefeito Rafael Greca:

“Começa um novo tempo para esse prédio tão lindo, que vai ser aberto agora para curitibanos e curitibinhas (estudantes da rede municipal) aprenderem mais sobre meio ambiente. Que esse espaço seja a continuação das nossas escolas municipais e continue sendo orgulho de Curitiba.”

Prédio que abriga a escola

O prédio que abriga a Escola Municipal de Sustentabilidade foi inaugurado oficialmente em 1991. Antes desta escola, o local abrigou a Universidade Livre do Meio Ambiente (Unilivre).

No entanto, a organização teve problemas para manter o espaço durante a pandemia. Além disso, o espaço foi vítima de vandalismo. Mas, foi recuperado pelo município para abrigar a Escola de Sustentabilidade.

Condução do projeto

A escola será conduzida pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente em parceria com a Secretaria Municipal da Educação e do Instituto Municipal de Administração Pública (Imap). A ideia é que seja um trabalho integrado entre as pastas.

Objetivo da escola

Contudo, o objetivo da escola é formar multiplicadores de boas práticas ambientais. É o que afirma a gerente de Educação Ambiental da Secretaria do Meio Ambiente, Leila Maria Zem.

“Teremos cursos de formação e atualização para os nossos professores e servidores, além de programas voltados à comunidade, como condomínios e associações de moradores.”

Inscrições

Por fim, as inscrições serão feitas pelo portal Aprendere do Imap ou diretamente no local, conforme o tipo de curso ofertado. A programação será divulgada à comunidade pelo site e redes sociais da Prefeitura de Curitiba. Informações podem ser obtidas pelo e-mail educambiental@curitiba.pr.gov.br e pelos telefones 3350-9272 e 3350-8508.

*Foto: Reprodução