Conheça os 40 líderes sociais premiados pela Fundação Schwab

conheça os 40 líderes sociais premiados pela fundação schwab

Fundação Schwab destacou líderes na área de inovação que podem gerar um maior impacto social, tanto em ambientes corporativos, como no setor público e da academia

Há mais de 20 anos que a Fundação Schwab reconhece iniciativas de empreendedores sociais, principalmente os que promovem valores inclusivos. Esta geração integra o nicho de P&D (Pesquisa & Desenvolvimento) ligada à sociedade civil, acelerando soluções de problemas na prática e ainda pensando em novos futuros através da experimentação.

Nas duas últimas décadas, a fundação selecionou e reuniu mais de 350 empreendedores sociais de 70 países e os incorporou às plataformas do Fórum Econômico Mundial.

Estes empreendedores demonstraram um expressivo progresso em relação à sustentabilidade e consumo, saúde e educação, desenvolvimento rural e formação profissional. E também descobriram novos meios de promover direitos humanos e igualdade social em distintos contextos no mundo todo.

Desigualdades mostradas pela Fundação Schwab

No entanto, as desigualdades aliadas à pobreza e fatores climáticos são grandes problemas para que um único empreendedor social ou entidade possa encarar por conta própria.

Portanto, é necessário reconhecer que muitos desses problemas estão interligados e suas causas também são profundas e refletidas na cultura, na história e na política. Além disso, a tomada de soluções são constantemente balizadas por normas desatualizadas e estruturas distorcidas de poder.

Parcerias

Para haver uma alteração de verdade, é fundamental a formação de parcerias com vários stakeholders para que as transformações radicais aconteçam de fato.

É preciso desenvolver a inovação social em todos os setores. Com isso, tecnologias sociais seriam adotadas, testadas, escaláveis e difundidas, seja por meio de empresas sustentáveis no deserto ou por modelos comunitários de atendimento à saúde.

É necessário também ter em mete que liderar o ecossistema de inovação social exige compromisso, resiliência e, claro, imaginação. E mais que tudo isso, de pessoas inovadoras, corajosas e comprometidas.

40 novas lideranças reconhecidas pela Fundação Schwab

Exatamente por tudo isso que a Fundação Schwab ampliou suas atuações para reconhecer e apoiar um ecossistema de agentes pioneiros que compartilham um objetivo em comum: acelerar o progresso rumo aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs) e progredir coletivamente no campo da inovação social.

A fundação homenageou com bastante orgulho 40 destas novas lideranças em inovação social durante seu evento anual em Nova York. No mês de setembro, foi reunida a primeira comunidade intersetorial de inovadores sociais no Fórum Econômico Mundial, durante a Cúpula de Desenvolvimento Sustentável.

Premiação

Na ocasião, foram apresentados os escolhidos das três novas categorias de premiados a cada ano, além dos empreendedores sociais. Ativistas, cidadãos e jovens de todo planeta protestam por ações fortes, exigindo mudanças em governos, companhias e instituições.

Para a Fundação Schwab, o que foi presenciado neste encontro foi um grupo comprometido de inovadores sociais chamado de intraempreendedores, que são agentes internos que causam mudanças dentro de governos e empresas. Eles utilizam os recursos à sua disposição para que grandes transformações aconteçam ao mesmo tempo em que lutam por modificações internas necessárias.

No encontro, o ex-chefe do Fundo Nacional de Ciência, Tecnologia e Artes do Reino Unido, que é um dos novos integrantes da Rede Schwab, Geoff Mulgan, afirmou:

“Em todo mundo, o setor público está tendo que aumentar sua capacidade de inovar, abrindo-se à criatividade da sociedade e dos inovadores sociais.”

Já para Garance Wattez-Richard, head da AXA, e um dos nossos premiados do ano, as grandes corporações passam a adotar princípios de inclusão e impacto em seus trabalhos.

“Não existe melhor maneira de desenvolver um negócio de impacto social do que fazê-lo em uma grande corporação que dispõe dos recursos necessários. Mas isso só é possível com envolvimento contínuo da liderança.”

Além disso, os governos presentes no evento também reconheceram a força de contribuição dos empreendedores sociais, que geram sociedades mais inclusivas. E ainda podem liderar políticas e parcerias que permitam que esta ação floresça ainda mais.

ODSs

O grande número de eventos baseados em soluções para os ODSs é um indicativo de que os cidadãos, a sociedade civil e o setor privado devem estar ansiosos para atuarem junto a formuladores de políticas. Com isso, será possível seguir ao alcance das metas globais.

Por fim, a Fundação Schwab afirmou que ao reunir a nova comunidade de líderes transformadores em paralelo à Assembleia da ONU, a intenção foi de desenvolver uma maior compreensão das estratégias para que resulte um trabalho colaborativo.

Fonte: Folha de S. Paulo

*Foto: Divulgação / Anthony Collins

Rio Pinheiros pode ficar limpo com projeto de despoluição

rio pinheiros pode ficar limpo com projeto de despoluição

Mesmo se for limpo, não é recomendável nada no Rio Pinheiros

O governo do Estado de São Paulo lançou o projeto Novo Rio Pinheiros, na intenção de despoluir o rio. No entanto, o órgão deixa claro que não há pretensão alguma deixar toda sua extensão propícia para banhos ou consumo. A ideia é apenas retomar o que ainda possa existir de vida nele. As afirmações são de Benedito Braga, o presidente da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), à época do lançamento do projeto, no fim de setembro.

Na ocasião, ele explicou durante encontro no evento Rios por um Triz – Despoluição dos Rios Pinheiros e Tietê, promovido pela SOS Mata Atlântica, em São Paulo:

“Ninguém está falando de um rio que vai estar disponível para natação, para esportes de contato direto com a água. Ninguém está falando em beber a água do Rio Pinheiros. Estamos falando de um rio que tenha 100% do tempo condições aeróbias. Dessa maneira, ele deixa de cheirar mal”.

E ainda ressaltou:

“É o que foi feito em outras partes do mundo. Muitas vezes dão exemplo do Tâmisa (na Inglaterra), do Sena (na França). Eles de fato não cheiram mal, mas não se pode ter contato direto com suas águas”.

Objetivo de despoluição do Rio Pinheiros

Para ele, o principal objetivo do projeto Novo Rio Pinheiros é conseguir com que “o rio tenha utilidade para a população na região metropolitana de São Paulo”. Ao contrário de tentar fazer uma despoluição direta, o foco da ação será em relação aos córregos que deságuam no rio, ou seja, que não chegue nele itens poluidores, vindos das estações de recuperação de água do córrego.

Desafios

Braga também contou que um dos grandes desafios do projeto para despoluir o Rio Pinheiros será tirar 2.800 litros por segundo de esgoto de suas sub-bacias para se tornar, até o ano de 2022, um rio que possa de fato ser utilizado.

Para isso, foram lançados 14 pacotes de licitação no valor de R$ 1,5 bilhão.

Eduardo Trani, subsecretário estadual e Meio Ambiente, complementou:

“Hoje não existe um lugar em que as pessoas possam parar o carro para visitar o rio. E o projeto vai ter uma série de ideias para a integração rio-cidade”.

Braga finalizou o encontro dizendo que serão construídas passarelas sobre o Rio Pinheiros. Além disso, “com o aumento do calado – da profundidade do rio -, poderia haver navegação turística no Pinheiros”.

Fonte: revista EXAME

*Foto: Divulgação

Por consumo consciente, Ambev embaralha letras de suas marcas

ambev executa ação promocional consciente

A empresa de bebidas Ambev promoveu uma ação no final de abril, durante transmissão de um jogo de futebol.

A empresa usou as redes sociais para chamar a atenção da iniciativa que alerta sobre o mês internacional da segurança no trânsito, também conhecido como “Maio Amarelo”.

Além disso, o motivo da empreitada foi lembrar as pessoas da importância do consumir bebidas alcoólicas de forma consciente. Deixar mais explícito ainda o recado que vemos constantemente: “se beber, não dirija”.

Uma de suas marcas mais famosas, a Brahma, brincou com a ordem das letras durante a transmissão da primeira rodada do Campeonato Brasileiro de Futebol. A palavra enxergada pelos telespectadores foi “Bhamra”.

REAÇÃO DOS INTERNAUTAS

Muitas pessoas não entenderam o recado da campanha da Ambev e utilizaram as mídias sociais para comentarem. Algumas postagens que se referiram à cerveja Budweiser, por exemplo, foram respondidas pela própria marca. A equipe mencionou uma das internautas, dizendo que ela havia enxergado certo a palavra escrita de forma errada e explicou que a ação promocional visa que as pessoas acham que está tudo em ordem beber e dirigir, quando não está.

Além da Brahma e Budweiser que se tornou Bwedusier, as outras marcas que embaralharam a ordem de leitura de suas cervejas foram: Antarctica (Antratcica), Corona Extra (Cronoa Etrxa), Skol (Sokl) e Stella Artois (Sltela Atrios).

A CAMPANHA

Sobre a inserção durante o jogo de futebol, a Ambev divulgou uma nota: “Às vezes, você bebe e acha que está tudo em ordem. Mas não está”. Em postagens via Twitter, a Budweiser se manifestou pela #TudoEmOrdem.

A campanha foi criada pela agência paulistana SunsetDDB e será veiculada até o meio de maio. A ação também visa a inserção em jornais impressos e mídia exterior.

O diretor de marketing da cervejaria Ambev, Alexandre Costa disse:

“A campanha nasceu de um insight do próprio consumidor. O objetivo é relembrar que a regra é clara: se beber, não dirija”.

Em entrevista à Folha, Costa concluiu que:

“A Ambev possui um programa constante de desenvolvimento de campanhas pelo consumo consciente. Historicamente, várias marcas já fizeram campanhas, mas de forma individual. Agora, elas entram todas juntas em prol de uma mesma causa”.

*Foto: Divulgação

 

Projeto Cineastas 360º muda a vida de jovens da rede pública

projeto cineastas 360º muda a vida de jovens carentes

Um projeto de audiovisual conseguiu transformar a vida de jovens do ensino público por meio da realidade virtual.

O “Cineastas 360º” é uma parceria do Facebook com a Recode, uma organização social que trabalha com meios digitais. Através da tecnologia, jovens carentes do Brasil aprendem a se comunicar sob um novo ponto de vista.

Por meio do “empoderamento digital” a Recode dá novo sentido ao cotidiano, muitas vezes violento, de moradores de comunidades cariocas. Com sede no bairro da Lapa, a organização em parceria com o Facebook produziu 53 filmes desses aprendizes, em 2018.

MY WORLD 360º

A interação desses jovens foi tamanha que um curta-metragem do projeto foi exibido na Assembleia Geral da ONU. Trata-se do filme “Francisca”, que integrou a mostra My World 360º, no fim do ano passado, em Nova York. O vídeo brasileiro foi apresentado juntamente com produções alemãs e norte-americanas.

O programa de realidade virtual é uma parceria entre as Nações Unidas e as empresas Digital Promise e Oculus. Esse projeto visa identificar quais são os problemas enfrentados pelos jovens do mundo todo, seja em casa ou na escola.

“Francisca, a luz na Terra do Sol” foi idealizado por jovens do Colégio Estadual Carlos Alberto de Deus, Goiânia (GO). Os estudantes Beatriz Kellen da Silva, Sabrina Rodrigues Vieira, Gabriela Cristina Vieira de Aguiar e Yan Ítalo da Silva Borges representam esta parcela de aprendizes do projeto Cineastas 360º espalhados por todo território nacional.

LOLLAPALANGO

Além deles, outro aluno do programa de realidade virtual ganhou destaque nas oficinas de 2018. O filme “Lollapalango – Santo Amaro”, do carioca Gean Guilherme Santos Lopes integrou a 2ª edição da mostra audiovisual Cineastas 360º. O nome foi inspirado no famoso festival musical Lollapalooza.

Antes de saber do projeto “Cineastas 360º – Realidade virtual para impacto social”, Gean chegou a abandonar sua escola. O jovem não acreditava mais que pudesse sair do cenário violento em que vivia, onde perdeu amigos de infância.

Por incentivo de sua mãe, retornou aos estudos e conheceu o programa da Ong Recode em parceria com o Facebook. Para ele, contar sua história por meio de um mini documentário o ajudou a ser melhor com professores e colegas.

Hoje, as crianças de sua comunidade o reconhecem como referência e perguntam quando poderão assistir mais um filme seu.

MAIS SOBRE OS CINEASTAS 360º

Uma das bases do programa é empoderar jovens de baixa renda através da realidade virtual e transformar o pensamento deles. Fazer com que eles pensem que é possível se comunicar e passar sua mensagem por meio do audiovisual.

Com o avanço da tecnologia e mídias digitais, esses aprendizes de cinema podem virar referência em suas comunidades. E passar o conhecimento adquirido às crianças, por exemplo. É um círculo vicioso do bem, que podem tirá-los da criminalidade por meio da arte e do diálogo.

Além disso, os alunos do Cineastas 360º criaram em pouco tempo um despertar para as ações de impacto social, por exemplo. Os realizadores do curta “Francisca conseguiram arrecadar alimentos, brinquedos e roupas e doar às crianças retratadas no documentário.

*Foto: Divulgação

15ª edição do Prêmio Empreendedor Social contemplará ONG

projeto empreendedor social lança troféu para ongs

Parceria entre o Grupo Folha e Fundação Schwab definirá seis finalistas em três categorias

O Prêmio Empreendedor Social completa 15 anos e no evento deste ano lançará o Troféu Grão, ligado diretamente à ONGs que desenvolvem projetos socioambientais de ampla repercussão.

O concurso é considerado o mais importante para o Terceiro Setor de toda a América latina.

Em seus 15 anos de atuação, já contemplou mais de 70 empreendedores socioambientais, além de gerar credibilidade internacional para líderes de negócios sociais de impacto reconhecido por especialistas da área.

Para quem não sabe, a Fundação Schwab atua como um braço do Fórum Econômico Mundial por participarem juntas atividades de encontros em diversas partes do mundo.

PREMIAÇÃO GERAL

Os vencedores desta edição terão acesso à Rede Schwab, que abrange participação em encontros do Fórum Econômico Mundial.

Além disso, os contemplados das três categorias ganharão benefícios no valor de R$ 400 mil.

Esse montante será dividido em forma de mentorias, que engloba assessoria jurídica; capacitações e cursos de qualificação em instituições prestigiadas, como Fundação Dom Cabral, FAAP e Insper, entre outras;   perfil publicado em caderno especial da Folha de S. Paulo; acesso à Rede Folha de Empreendedores Socioambientais; e fotos e videodocumentário contando a história de cada vencedor.

CATEGORIAS

Prêmio Empreendedor Social 2019

Podem participar empreendedores maiores de 18 anos; projetos de iniciativa socioambiental de impacto com mais de três anos de atuação e que gere influência direta em assuntos ligados à políticas públicas; e negócio social e instituições que atuam como em setores que ofereçam alternativas questões do meio ambiente.

Os vencedores dessa divisão ganharão bolsas de estudo em universidades como Harvard e FAAP; medição oferecida pelo Insper; participação em fóruns nacionais e internacionais; e consultoria jurídica.

Prêmio Empreendedor Social de Futuro 2019

Podem participar iniciativas ou startups de no mínimo um ano de gestão; empreendedores residentes no Brasil, entre 18 e 35 anos; Oscips, ONGs e startups de foco socioambiental.

Os prêmios para esta categoria são: assessoria jurídica e de gestão; apoio de grandes empresas do setor; participação em fóruns de investidores; mentorias; e bolsas para cursos de capacitação.

Troféu Grão

Podem se inscrever: empreendedor acima de 18 anos; projeto socioambiental de impacto com no mínimo um ano de atuação; e Oscips, ONGs e outras entidades sem fins lucrativos.

Prêmios: bolsa integral em instituições renomadas; Webinar ou workshop; participação em workshops sobre empreendedorismo, entre outros.

INSCRIÇÕES E CERIMÔNIA

Os interessados devem se inscrever na página do Empreendedor Social até 30 de abril.

A cerimônia de premiação ocorrerá em 11 de novembro, em São Paulo, em local a ser divulgado.

*Foto: Divulgação

Musicoterapia: Método de tratamento chega às periferias

musicoterapia em zonas periféricas

Antigamente, uma linha de terapia ligada à música não era muito difundida no Brasil, fato é que as faculdades de Musicoterapia no país ainda são poucas em relação a outros cursos superiores ligados à área da saúde.

Em zonas periféricas do território nacional, principalmente na cidade de São Paulo, já se encontra esta vertente de terapia para tratar mulheres que sofreram de abuso, por exemplo.

Como a Musicoterapia atua neste caso?

Através de recursos sonoros com a utilização de instrumentos musicais ou simplesmente por sons emitidos pelo próprio corpo é possível identificar pontos de tensão que podem estar ligados à violência doméstica ou à depressão, que também envolve a falta de tempo para cuidar de si mesma.

Muitas dessas mulheres têm dupla jornada, ou seja, chegar do trabalho e ainda cuidar dos filhos e esquecem de cuidar de sua saúde mental.

O Coletivo MT é um exemplo de entidade que auxilia mulheres na periferia do extremo Sul da capital paulista, desenvolvendo um trabalho em bairros como o Grajaú.

O coletivo oferece o tratamento gratuitamente na intenção do público feminino se abrir e quebrar um silêncio doloroso, além da dificuldade de acesso por estas pessoas morarem em regiões periféricas e na maioria das vezes não podem arcar com custos de uma terapia convencional.

Os encontros são realizados em dia e horário estabelecidos pelos musicoterapeutas voluntários. Em muitos casos, estes profissionais também residem na mesma região das sessões para facilitar ainda mais o acesso.

A musicoterapia em grupo ministrada para essas mulheres faz com que percebam que aquele momento entre elas pode levar à reflexão sobre assuntos de autocuidado, intimidade e saúde emocional.

Como participar:

Coletivo MT atende no Centro de Cidadania da Mulher da Capela do Socorro toda segunda-feira, das 10h30 às 11h30 e é gratuito. Para ingressar no grupo, basta preencher um formulário com dados básicos. Endereço: Rua Professor Oscar Barreto Filho, 350, Grajaú – Contato: (11) 5927-3102 / 5929-9334.

atendimento psicológico em universidade

*Foto: Reprodução / Flickr – Clínica Escola da faculdade de Psicologia UFC – Viktor Braga

Atendimento psicológico em Universidades da Zona Leste

Além da Musicoterapia na Zona Sul, há também a oferta de tratamento psicológico em faculdades da zona leste de São Paulo.

Para participar, a pessoa tem que morar na região onde são realizados os atendimentos. As sessões são ministradas pelos próprios alunos dos cursos de Psicologia dessas instituições, com supervisão de seus professores.

Cada universidade tem um critério próprio de seleção de novos pacientes.

Quem oferece o tratamento:

Universidade Cruzeiro do Sul – UNICSUL – Endereço: Rua Taiuvinha, 26 – Campus São Miguel – Telefone: (11) 2037-5853. De segunda à sexta-feira, das 10h às 20h, e sábados, das 9h às 11h.

Universidade São Judas Tadeu – USJT – Clínica de Psicologia Aplicada – Endereço: Rua Marcial, 45 – Mooca – Telefone: 2799-1831. De segunda à sexta-feira, das 10h às 22h e aos sábados das 8h às 14h.

*Foto Capa: Reprodução / Flickr – Ribamar Neto