Lojistas já recebem no ato da venda pela empresa PagSeguro

lojistas recebem pagamento no momento da compra pelo pagseguro

Desde maio a opção entrou em vigor aos lojistas que já possuem conta PagSeguro

A PagSeguro anunciou em final de abril que os vendedores que utilizam suas maquininhas receberão o pagamento imediatamente.

A medida vale aos comerciantes que já possuem conta na companhia pertencente ao grupo UOL. Além disso, a famosa empresa de maquininhas tem pequena participação acionária e indireta da Folha de São Paulo.

O vendedor poderá utilizar o dinheiro do pagamento da PagSeguro de duas formas: via débito ou sacá-lo em caixas eletrônicos.

FUNCIONAMENTO ANTERIOR DE PAGAMENTOS

Antes, quando o comerciante fazia uma venda por cartão de débito, demorava cerca de um dia para receber. E na opção de cartão de crédito a espera era de 30 dias ou menos, com prazo determinado pelo vajerista. Porém, essa escolha equivalia a juros maiores.

CONCORRÊNCIA FORTE

A decisão da PagSeguro serve como estratégia para atenuar a forte concorrência da Rede, companhia do Itaú. A empresa pertencente ao banco divulgou também em abril que as vendas realizadas na forma de crédito serão pagas em até dois dias. Com isso, o varejista não precisa mais antecipar o pagamento. Porém, a taxa cobrada não foi divulgada à imprensa.

A tática adotada pela Rede fez despencar as ações da PagSeguro no pregão, e também das concorrentes Cielo e Stone. Na bolsa de Nova York, em 22 de abril, a PagSeguro registrou queda de 1,23% e Stone, 2,38%, na Nasdaq.

Todavia, não foi só a Rede que impôs a medida agressiva ao mercado de maquininhas de cartão. A Safrapay, do banco Safra, também acatou a mesma alternativa em zerar a taxa de juros ao varejista que quiser antecipar o valor pago à vista pelo cliente no cartão de crédito.

CADE VAI AVERIGUAR INICIATIVA DA REDE

A decisão da Rede poderá alterar o modo competitivo das empresas do setor, segundo analistas da XP Investimentos.

Já o Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) vai verificar a iniciativa adotada pela companhia. A concorrência alega que essa postura confere venda casada, pois os clientes devem possuir conta no Itaú para se beneficiarem das condições de pagamento e descontos promovidos pela Rede.

ABIPAG

A Associação Brasileira de Instituições de Pagamentos (Abipag), afirma que iniciativas como a da Rede devem ser vistas com desconfiança. Para a associação, uma medida como essa em que a empresa diz zerar a tarifa de antecipação para pagamentos via cartão de crédito, deve ser encarada como o de compensar a falta de taxa neste serviço, mas que provavelmente deve ser compensada na forma de outra tarifa. Em comunicado enviado à imprensa, a Abipag conclui que a intenção da Rede é acabar com as fintechs e impedir que tenha competição nesse nicho de mercado e ainda ressalta que também possa ser uma ação promocional de caráter duvidoso.

Foto: Divulgação

Maconha medicinal: importação pelo medicamento cresce no Brasil

cresce importação de maconha medicinal no brasil

Avanço das autorizações chegaram a 70% no ano passado, segundo a Anvisa

Desde 2018, o mercado de maconha medicinal tem atraído investidores estrangeiros ao Brasil.

A importação do medicamento cresceu bastante nos últimos tempos no país. Entres os motivos, está o fato da Anvisa ainda não ter alavancado o processo de regulamentação para que farmacêuticas brasileiras possam plantar a erva e comercializar seu uso do ponto de vista clínico.

O número de novos pedidos atingiu 2.371 casos só no ano passado, além de 1.242 solicitações de revalidação.

O mercado brasileiro de maconha medicinal chegou a ser citado no site americano Marijuana Business Daily, no mês passado. O que comprova que os investidores acompanham de perto o uso do medicamento em território nacional.

RENOVAÇÕES X LIBERAÇÕES EM 2019

Para este ano, o número de renovações tem sido o menor que o de liberações. Um dos motivos é alto custo para importação do medicamento. Entre janeiro e março, somente 429 licenças foram renovadas, segundo Caio Abreu, diretor da Entourage, empresa especializada nesse segmento.

AUTORIZAÇÕES DE PLANTIO VIA PROCESSO JUDICIAL

Muitos pacientes, por falta de condições financeiras, acabam limitando a dose de uso do medicamento. Pois assim, eles conseguem estender o tratamento à base de canabidiol. Tem casos de pessoas que optam por alternativas consideradas ilegais para conseguir a fórmula, ressalta Caio.

PLATAFORMA DE COMPRA LEGAL DE MACONHA MEDICINAL

Fundado em 2018, o portal Dr. Cannabis foi idealizado pela empresária Viviane Sedola. Vinda da área de relações públicas do site de crowdfunding Kickante, Viviane percebeu a carência de informação do mercado de maconha medicinal no Brasil.

A partir daí, resolveu apostar neste ramo de atividade e criar uma plataforma para divulgar informações de como comprar de forma legalizada: canabidiol (CBD) e tetraidrocanabinol (THC). Enfim, facilitar cada vez mais o acesso a esse recurso medicinal e que ainda é um tabu no país.

Pouca gente sabe que o medicamento serve para tratar casos de epilepsia, autismo, dores crônicas, esclerose múltipla e até ansiedade. Com isso, a CEO do Dr. Cannabis reúne em seu portal tanto médicos como usuários cadastrados. Eles recebem uma newsletter com as últimas informações deste universo medicinal.

Desde 2015, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária permite ao paciente com receita médica que importe CBD ou THC. O processo de importação não é muito barato, podendo ultrapassar R$ 2 mil. Portanto, pacientes que não possuem condições financeiras, eles podem pedir judicialmente uma licença para poder plantar a erva em casa. Atualmente, já são 15, o número de casos de quem conseguiu este tipo de autorização via judicial.

LEGISLAÇÃO PARA PLANTIO

Está em discussão no Senado o projeto de lei 514/2017 para permissão do plantio da erva para fins medicinais. Com isso, a indústria farmacêutica brasileira teria muito a ganhar.

Quando foi divulgado em 2018 pelo presidente da Anvisa, Jarbas Barbosa, a aceleração do processo de regulamentação da maconha medicinal, o setor farmacêutico correu para se aprofundar sobre o assunto, etc. Porém, com o atraso em regularizar todos os trâmites, a instalação de linhas de produção desse mercado tiveram que esperar. A partir daí, que os investidores estrangeiros viram uma grande oportunidade de negócio no país.

*Foto: Divulgação

UE aprova diretiva de direitos autorais para internet

direito autoral na internet

A União Europeia deu aval positivo à medida proposta pela Comissão Europeia em setembro de 2016 em relação à proteção das agências criativas de seu continente.

Empresas como Google e Facebook podem ser prejudicadas por esta iniciativa. Pois terão que pagar a editores por trechos de notícias, no caso do maior buscador do mundo. E a companhia de Mark Zuckerberg terá que filtrar qualquer conteúdo protegido por direito autoral na internet.

O QUE É A DIRETIVA

A iniciativa chamada de Diretiva da União Europeia sobre Direitos Autorais no Mercado Único Digital tem por finalidade adaptar as normas de direitos autorais da Europa à realidade de hoje. Isso significa adequar os serviços de streaming musicais, plataformas de conteúdo e de vídeo sob demanda, que são os principais meios por onde os usuários acessam trabalhos originais de criativos da indústria midiática.

Segundo o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, a reforma atual estabelece regras de direito autoral mais condizentes à internet. As normas estão mais transparentes e visam garantir uma remuneração justa aos criadores. Além das plataformas de conteúdo terem a responsabilidade em filtrar trabalhos autorais. Juncker afirma que faltava um projeto que contemplasse os direitos do autor em relação ao mercado único digital europeu.

ARTIGOS 15 E 17

Porém, dois artigos (11 e 13) que foram modificados em sua numeração, preocuparam corporações e ativistas da internet.

O artigo 15 (ex-11) estipula taxas às plataformas online que disponibilizarem links para notícias com pequenos trechos do conteúdo original. Já para os hiperlinks, o texto atual elimina hipótese de pagamento. O mesmo vale para palavras individuais ou frases curtas de publicações jornalística.

O artigo 17 diz respeito a maior responsabilidade dessas plataformas em garantir proteção a conteúdo de direito autoral na web. Além do Facebook e Google, outras empresas dos meios digitais terão que assinar acordos de licenciamento. Portanto, ficaria autorizado utilização de trabalho de artistas, autores, editores de notícias, jornalistas e músicos.

Além disso, a UE nega que os criadores de memes e paródias tenham que pagar contribuição aos autores originais. Para a comissão esse ato violaria a liberdade de expressão.

O texto deixa claro que é permitido em toda o continente europeu a utilização de obras já publicadas como finalidade de crítica, citação, caricatura, paródia e revisão.

Provavelmente, sistemas de conteúdo audiovisual, como Instagram e Youtube, pertencentes ao Facebook e Google, respectivamente, terão que implementar filtros para barrem usuários que queiram fazer “upload” de vídeos protegidos por direito autoral.

WIKIPEDIA

O portal de enciclopédia gratuita, institutos educacionais e científicos sem fins lucrativos, além de plataformas de desenvolvimento e compartilhamento de softwares que usam códigos abertos, marketplaces e serviços de nunvem B2B ficam isentos das regras impostas pela Diretiva de Direitos Autorais.

Todavia, em solidariedade aos demais, o Wikipedia retirou do ar diversos sites europeus em forma de protesto às novas regras.

O Google ainda salientou que caso as medidas tenham ser impostas em breve, talvez tivesse que parar de oferecer seus serviços ao velho continente.

ARTISTAS A FAVOR DA DIRETIVA

Apesar de muitos serem contra, há artistas que consideram a reforma uma boa solução. A prática pode atingir o desenvolvimento de novos conteúdos de qualidade, além de uma competição mais justa em relação às grandes empresas de tecnologia.

Entre os que concordam com a causa, estão Paul McCartney, Debbie Harry e os cineastas Pedro Almodóvar, entre outros.

COMO O BRASIL PODE SER AFETADO PELA INICIATIVA

Por meio das diretrizes europeias dos meios digitais, a lei de proteção de dados brasileira foi instituída em 2018.

Como muitas das gigantes de tecnologia afetadas pela diretiva europeia tem suas sedes nos Estados Unidos e mesmo países da UE, a repercussão pode se tornar mundial. Logo, isso inclui o Brasil.

Portanto, não será surpresa se o governo brasileiro impuser sua própria lei de direito autoral para os meios digitais. E tome como base o que foi aprovado pela União Europeia, mas que possa ter característica da realidade do país.

Se companhias como Amazon, Facebook e Google forem afetadas economicamente em solo europeu, isso também pode acarretar em uma diminuição dos serviços em outros locais de atuação, incluindo o Brasil.

A lei nacional de legislação autoral diz respeito ao decreto 9.610/1998 e foi atualizada em 2013 pela lei 12.853. A última foi criada apenas para o Ministério da Cultura fiscalizasse o trabalho do Ecad – Escritório Central de Arrecadação.

*Foto: Reprodução / Agência Senado – Edilson Rodrigues

Diretor-geral da Ambev prevê momento de retomada no país

diretor-geral da ambev prevê momento de retomada do país

Bernardo Paiva afirma que ciclo de crescimento recomeçou e o momento de investir é agora

O diretor-geral da Ambev, Bernardo Paiva relata que momento de voltar a investir no Brasil é agora.

Ao contrário do que pensa outros dirigentes de grandes corporações, o executivo da gigante de bebidas prevê que não é necessário esperar a aprovação da reforma da previdência para voltar a injetar capital no Brasil.

Ele vai na contramão em relação ao que acreditam grandes empresas do país. Para Paiva não é necessário haver esta paralização porque há dúvidas sobre a capacidade do governo em garantir a reforma.

Em entrevista à Folha mês passado, o diretor diz que sempre em momentos de crise do país, houve uma retomada. Ele acredita que esses dados históricos sobre a economia brasileira não são motivos para recuar nos investimentos.

Segundo Paiva, é hora de acreditar no país e injetar recursos. Ele conclui que quem fizer isso, também estará beneficiando o Brasil em um momento importante e suas próprias empresas.

AMBEV EM QUEDA

A queda de 3,1% nas vendas do volume de cerveja no Brasil em 2018, deixaram os administradores da Ambev insatisfeitos. Porém, a empresa enxerga cenário positivo para 2019.

ESTRATÉGIA DE INVESTIDORES

A companhia 3G Capital, pertencente aos investidores Jorge Lemann, Beto Sicupira e Marcel Telles tem sido criticada no mercado. O que no passado foi uma planejamento de sucesso que resultou na fundação da Ambev, hoje gera questionamentos. E o principal deles deve-se à falta de investimentos em outras marcas integrantes da 3G Capital, como a Kraft Heinz.

*Foto: Divulgação

Governo quer ampliar validade e pontuação da CNH

cnh pode ter prazo de validade por 10 anos

No início de abril, um projeto de lei foi elaborado pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas e apresentado ao presidente da república Jair Bolsonaro.

O conteúdo diz respeito à pretensão do governo em querer aumentar de cinco para 10 anos o prazo de validade da CNH (Carteira Nacional de Habilitação). Além disso, a proposta também deve mudar os termos de pontuação máxima da carteira.

Freitas afirma que o governo quer aumentar para 40 a pontuação máxima. Hoje, o acúmulo máximo permitido é de 19 pontos. Ao atingir a vigésima infração, automaticamente o motorista sofre uma suspensão do direito de dirigir pelo período de 1 ano. A duração da perda da licença é imposta pelo Detran.

A intenção do projeto não é novidade no Congresso, já que em 2011, ainda na qualidade de deputado, Bolsonaro apresentou a mesma proposta, porém não houve avanço na época.

PONTUAÇÃO GRAVÍSSIMA

Segundo o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, a ampliação da pontuação máxima não significa amenizar os efeitos das infrações, ao contrário. Para quem atingir pontuação de cunho grave gravíssimo, a punição será ainda mais severa.

Atualmente, perde-se a carteira quando se alcança 20 pontos e só quando acumula-se 40 ocorrências é que o motorista responde a um processo. Se a medida for aprovada, condutores que dirigirem sob efeito de álcool, sofrerão suspensão de forma mais rápida.

Hoje, os processos de suspensão em casos de multas graves e gravíssimas chega a passar por seis instâncias. Com a aprovação do projeto cairia para três instâncias até que o condutor perdesse a licença para dirigir.

VALIDADE DA CNH

Além da intenção do governo em aumentar para 10 anos a validade da carteira de habilitação, a proposta também visa que este prazo cesse quando o motorista completar 50 anos de idade. A partir daí, o condutor voltar a renovar a carta a cada 5 anos. Com isso, o cidadão não precisará passar pelos constantes exames exigidos toda vez que for atualizar a CNH.

De acordo com o projeto, os que possuem indícios de deficiência física e mental ou de doença em estado progressivo deverão renovar a habilitação antes dos 10 anos propostos. Pois nesses casos ficam constatados uma diminuição da capacidade de conduzir um veículo.

SUSPENSÃO DOS RADARES NAS RODOVIAS FEDERAIS

No começo do mês passado a Ministério de Infraestrutura anunciou que não serão mais instalados radares em rodovias federais. A ordem veio de Bolsonaro, que afirma que a única intenção dessa fiscalização é de abastecer o cofre do estado.

O destino desses equipamentos seria para as rodovias controladas pelo Dnit – Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes. O governo ressaltou também adotará a medida nas rodovias federais concedidas à iniciativa privada.

Tarcísio Freitas pondera que o governo não quer extinguir os radares nessas rodovias, ao contrário. O desejo é instalar os equipamentos apenas onde o excesso de velocidade possa causar acidentes.

*Foto: Divulgação

 

Novos processadores melhoram inteligência artificial dos celulares

empresas prometem melhorar inteligência artificial dos celulares

A empresa californiana Qualcomm disponibilizou ao mercado no mês passado seus novos processadores para smartphones. A tecnologia roda em sistema Android com custo de R$ 2 mil ou menos a contar da época do lançamento.

As novas linhas de processadores, intituladas Snapdragon 665 e Snapdragon 730 apresentam recursos melhorados de inteligência artificial em suas câmeras.

O modelo 665 possui suporte para câmera tripla encontrado em smartphones tops de linha, como o Samsung Galaxy S10. O aparelho brasileiro tem três câmeras traseiras com lentes de captura diferentes em sua amplitude.

Já o processador americano é capaz de aumentar o zoom digital de aproximação em até 5x. No total, ele possui capacidade para capturar imagens de até 48 megapixels.

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Ainda sobre a linha 665 do Snapdragon, a apresentação do chip de processamento de inteligência artificial é mais veloz do que o do seu antecessor, o 660. O recurso possibilita regular e ajustar automaticamente os diferentes tipos de cena captados. E as fotos podem ser melhoradas pela uso da inteligência artificial que é analisada por meio de um banco próprio de dados sobre diversos tipos de imagens.

PREVISÃO PARA OS PRÓXIMOS ANOS

De acordo com estimativa prevista pela empresa de consultoria norte-americana Gatner, daqui três anos, 80% dos celulares terão recursos de inteligência artificial nativos, ou seja, com chips dedicados a essa tarefa. O número representa um acréscimo de 10% em relação a 2017. O motivo do crescimento é o interesse das fabricantes em querer diferenciar cada vez mais seus produtos.

O Snapdragon 665 possibilita o usuário a utilizar o rosto como senha, graças ao sistema de reconhecimento facial em três dimensões. Com isso, o consumidor não corre o risco de o sensor ser enganado se fosse usado uma foto no lugar.

No quesito game, o modelo se sobressai em relação à geração anterior, segundo teste realizado pela Qualcomm. Seu consumo de energia é 20% menor, ou seja, menos consumo de bateria utilizado pelos jogadores de celular.

Se este processador estiver presente em um Iphone Xs conseguirá captar imagens desfocadas em segundo plano com apenas uma câmera. Antigamente era necessário o uso de duas câmeras para este efeito. Por enquanto, nenhuma empresa de celular anunciou um modelo com um dos novos processadores da Qualcomm. Porém, há rumores de que ainda seja lançado por alguma empresa neste ano.

Modelo 730

O novo Snapdragon 730 tem foco na demanda de aparelhos mais sofisticados, com motor de processamento de inteligência artificial de quarta geração. Em relação ao 665, seu desempenho é mais veloz e ainda duas vezes mais rápido a linha Snapdragon 710.

O modelo já vem com recurso para fotos com fundo desfocado pelo uso de uma única câmera. Aqui o uso de inteligência artificial otimiza cenas fotografadas por sensores tridimensionais para desbloqueio facial. A união de todas as câmeras desse dispositivo chegam a capturar imagens de até 192 megapixels.

Seu diferencial em relação aos outros modelos de processadores está no desempenho da tecnologia HDR. Os vídeos com resolução em 4k possuem otimização dos níveis de brilho e contraste, gerando um efeito melhor do que em câmeras sem este recurso.

Para os gamers que utilizarem este processador, há um modelo específico, o Snapdragon 730G. Com ele, o processamento gráfico pode ser melhor em até 25% em relação à linha 730.

Mesmo a empresa americana não ter anunciado quais gigantes de telefonia celular lançariam aparelhos com sua tecnologia, ela sugeriu que a Xiaomi possa estar interessada. Recentemente, a companhia chinesa estreitou uma parceria com a DL e retornou ao mercado brasileiro.

A Qualcomm espera que o lançamento de seus três novos processadores no mercado global aconteça ainda no primeiro semestre de 2019.

*Foto: Divulgação

DNI: saiba como funciona o novo RG digital

como funciona rg digital

No próximo semestre já será possível emitir o novo formato de identificação digital.

O documento oficial de identificação visa integrar em um único registro os números de CPF e do título de eleitor.

O DNI vai aproveitar o banco de dados de eleitores já cadastrados, que atualmente é cerca de 90 milhões. Porém, o novo registro não irá se restringir apenas a esse acervo de informações disponíveis.

A ideia é que o documento substitua no futuro a apresentação de outros meios de identificação, como certidão de nascimento e casamento, além do CPF e título de eleitor.

Com isso, pode ser dispensada a obrigação de carregar tantos documentos para diferentes finalidades.

FUNCIONAMENTO

No início, o usuário deverá baixar o app uma única vez e em um único smartphone ou tablet (Android e IOS). O reconhecimento de que a pessoa é ela mesma será feita por meio de autenticação biométrica. Os cidadãos que já cadastraram suas digitais na Justiça Eleitoral não precisarão fazer de novo o procedimento.

Os indivíduos que ainda não fizeram a biometria, o programa ICN (Identificação Civil Nacional) será responsável por coletar as digitais, supervisionado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

A partir da validade do projeto, o cidadão poderá baixar o aplicativo em caráter definitivo. Mas apenas os que já possuírem biometria cadastrada. Em seguida, o usuário fará um pré-cadastro e autenticará os dados junto a um posto de atendimento da Justiça Eleitoral.

Após o procedimento, é gerado uma numeração de nove dígitos como DNI e os documentos oficiais exibirão essa identificação. O TSE confirma que essas informações pessoais mostradas no app são criptografadas.

Segundo o órgão público, o aplicativo vai apresentar um QR Code que é criado a cada novo acesso pelo usuário. Também vai ser mostrado na tela os dados de validação ligados à data e hora em que foi gerado.

O TSE ressaltou que o DNI será exibido no canto superior direito do app com um código de verificação de 20 caracteres em formato de marca d’água. Essa identificação será precedida por data e hora em que foi gerado o DNI.

*Foto: Divulgação

Detran e Serpro permitem o uso de CRLV digital

detram e serpro permitem o uso de crlv digital

Agora não tem mais desculpa que esqueceu o documento do veículo em casa ou no outro carro usado pela família. Já entrou em vigor a iniciativa de poder apresentar o CRLV direto pela tela do celular.

A medida é uma parceria entre Detran e Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro). Com isso, além do documento impresso, o condutor também pode utilizar o serviço digital.

O procedimento visa facilitar a vida do motorista e agentes de trânsito em uma blitz ou outros tipos de abordagem. Por meio da leitura de um QR Code é possível ter acesso ao documento do carro já cadastrado. Além disso, a tecnologia permite o compartilhamento do CRLV com até cinco smartphones, ou seja, pode ser utilizado por familiares que dividem o uso de um mesmo automóvel.

ARQUIVO EM PDF

Além do acesso via celular por QR Code, o condutor poderá apresentar o documento em forma de PDF. Para isso ele terá autenticar assinatura digital em cartório e depois apenas salvar o arquivo no smartphone.

Importante ressaltar que estas alternativas de apresentação não substituem em definitivo o documento impresso original. E o aplicativo de reconhecimento vale apenas para os cidadãos que possuem o pagamento do licenciamento em dia.

VERSÃO ELETRÔNICA EM 13 ESTADOS BRASILEIROS

A versão eletrônica do CRLV já está presente em 13 estados do país, entres eles, Alagoas e Rio de Janeiro. As demais localidades têm até o mês de junho para adotarem esse sistema, conforme a Resolução nº769/2018 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Até o final do ano, a intenção da parceria entre Detran e Serpro é estar presente em todo território nacional.

COMO INSTALAR O APLICATIVO

O usuário deve acessar o serviço de instalação de aplicativos por meio de um aparelho Android ou IOS. Em seguida, deve fazer o download do app CDT (Carteira Digital de Trânsito), desenvolvido pelo Serpro.

Na primeira tela do app é possível consultar informações de validade jurídica dos documentos digitais e de compartilhamento por celular. O próximo passo é colocar o CPF para iniciar o cadastro e depois os dados pessoais. Será pedido a criação de uma senha para os demais passos até finalizar o cadastro.

*Foto: Divulgação

Carros de aplicativos são fiscalizados pela prefeitura de SP

carros de aplicativos são fiscalizados pela prefeitura de sp

A prefeitura de São Paulo iniciou mês passado a fiscalização de veículos por aplicativos. A medida segue o decreto assinado pelo prefeito Bruno Covas, no começo do ano.

Os motoristas de empresas do setor como Cabify, Uber e 99 têm que se adequar às normas exigidas. Dentre as regras, os condutores podem precisar apresentar um certificado de curso.

Cabe à própria companhia de aplicativo enviar à prefeitura informações pessoais do empregado e o certificado do curso. Essa capacitação do motorista é oferecida pelo próprio empregador.

Documentos e Curso Online

Os motoristas devem possuir o Conduapp (Cadastro Municipal de Condutores), documento obtido após curso online e apresentação de dados pessoais. Aqueles que ainda estiverem em processo de curso, podem ser dispensados do Conduapp em uma primeira fiscalização, por exemplo.

Sinalização e Inspeção

Os veículos devem ser identificados por adesivo ou outro sinal comprobatório de que represente uma empresa de carros por aplicativo. Também terá que constar uma identificação visível do motorista com foto na parte interna do veículo.

Os dirigentes das empresas de carros por aplicativo farão uma inspeção veicular e emitirão certificado de segurança sob pagamento de taxa. Os procedimentos serão marcados a partir de um calendário com datas disponíveis até dezembro do ano vigente.

Por enquanto, a prefeitura estendeu o prazo para verificação de inspeção de segurança dos veículos dessas companhias.

Multas e Emplacamento de fora de São Paulo

Os condutores das empresas que não se adequarem às novas regras poderão sofrer multas de até R$ 4.500.

Na primeira tentativa do órgão público de fiscalizar estas companhias, havia o impasse do carro ter placa de outras cidades. Segundo esses aplicativos, esta norma é equivocada em relação ao não poder pegar um passageiro de São Paulo com carro de emplacamento de outro município.

Ainda na gestão Doria, esta medida caiu por meio de liminares concedidas às locadoras de veículos, que possuem carros de fora da capital paulista. Já para a prefeitura de São Paulo, a proibição visa uma arrecadação mais justa de impostos.

Porém, como a suspensão foi imposta durante a gestão anterior e caiu por liminar, ainda não se sabe o procedimento correto a ser acatado neste caso, ou seja, se o decreto ainda está em vigência mesmo com o novo texto assinado.

De acordo com a Secretaria Municipal de Transporte e Mobilidade, as liminares vigentes serão respeitadas. Mas o órgão não soube informar se a restrição se aplicaria apenas aos automóveis particulares, e não de locadoras, para emplacamentos de fora São Paulo.

*Foto: Divulgação

Por consumo consciente, Ambev embaralha letras de suas marcas

ambev executa ação promocional consciente

A empresa de bebidas Ambev promoveu uma ação no final de abril, durante transmissão de um jogo de futebol.

A empresa usou as redes sociais para chamar a atenção da iniciativa que alerta sobre o mês internacional da segurança no trânsito, também conhecido como “Maio Amarelo”.

Além disso, o motivo da empreitada foi lembrar as pessoas da importância do consumir bebidas alcoólicas de forma consciente. Deixar mais explícito ainda o recado que vemos constantemente: “se beber, não dirija”.

Uma de suas marcas mais famosas, a Brahma, brincou com a ordem das letras durante a transmissão da primeira rodada do Campeonato Brasileiro de Futebol. A palavra enxergada pelos telespectadores foi “Bhamra”.

REAÇÃO DOS INTERNAUTAS

Muitas pessoas não entenderam o recado da campanha da Ambev e utilizaram as mídias sociais para comentarem. Algumas postagens que se referiram à cerveja Budweiser, por exemplo, foram respondidas pela própria marca. A equipe mencionou uma das internautas, dizendo que ela havia enxergado certo a palavra escrita de forma errada e explicou que a ação promocional visa que as pessoas acham que está tudo em ordem beber e dirigir, quando não está.

Além da Brahma e Budweiser que se tornou Bwedusier, as outras marcas que embaralharam a ordem de leitura de suas cervejas foram: Antarctica (Antratcica), Corona Extra (Cronoa Etrxa), Skol (Sokl) e Stella Artois (Sltela Atrios).

A CAMPANHA

Sobre a inserção durante o jogo de futebol, a Ambev divulgou uma nota: “Às vezes, você bebe e acha que está tudo em ordem. Mas não está”. Em postagens via Twitter, a Budweiser se manifestou pela #TudoEmOrdem.

A campanha foi criada pela agência paulistana SunsetDDB e será veiculada até o meio de maio. A ação também visa a inserção em jornais impressos e mídia exterior.

O diretor de marketing da cervejaria Ambev, Alexandre Costa disse:

“A campanha nasceu de um insight do próprio consumidor. O objetivo é relembrar que a regra é clara: se beber, não dirija”.

Em entrevista à Folha, Costa concluiu que:

“A Ambev possui um programa constante de desenvolvimento de campanhas pelo consumo consciente. Historicamente, várias marcas já fizeram campanhas, mas de forma individual. Agora, elas entram todas juntas em prol de uma mesma causa”.

*Foto: Divulgação