Selo ilmpact reconhece inovações de impacto social

selo-iimpact-reconhece-inovações-de-impacto-social

Selo ilmpact é uma iniciativa do Innovation Latam em parceria com a Fundação Dom Cabral, qualificando startups comprometidas com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável definidos pela ONU

Neste ano, o selo iImpact recebeu 555 inscrições de startups de 24 países. A iniciativa é do Innovation Latam em parceria com a Fundação Dom Cabral. Sendo assim, ela reconhece startups que estão de fato gerando impacto social e ambiental positivo na América Latina.

Países

O Brasil concentra o maior número de inscrições, com 311 participantes. Em seguida, aparecem México (38), Chile (28) Peru (26) Argentina e Colômbia (24 de cada país).

Entre os destaques dos perfis das participantes é a predominância de startups maduras. Isso porque do total de inscritas, 86,7% possuem ao menos um MVP (Mínimo Produto Variável) estruturado. Já a metade (53,9%) das startups está em fase de tração (traction) ou escala (scale-up).

Selo ilmpact – 17 ODS

Além disso, o selo iImpact permite que startups se qualifiquem e mostrem ao mercado o compromisso em promover soluções que colaborem com os 17 ODS – Objetivos do Desenvolvimento Sustentável definidos pela Organização das Nações Unidas (ONU). Em 2020, 65 projetos foram reconhecidos pelo impacto gerado na sociedade.

Cada startup pode indicar até três dos 17 ODS como foco de sua atuação. Na atual edição do selo, o 8º objetivo da ONU – trabalho decente e crescimento econômico – foi destacado por 135 das startups inscritas. E ainda tiveram mais de 100 registros os ODS 11 (cidades e comunidades sustentáveis), 12 (consumo e produção responsáveis) e 13 (ação contra a mudança global do clima).

Maior aderência das startups

Segundo o líder da metodologia de pesquisa da Fundação Dom Cabral, professor Fabian Salum, a edição 2021 demonstra o interesse e seletiva escolha com aderência recorrente das startups ao projeto iImpact.

“Percebe-se, na primeira fase da coleta de dados, que as startups participantes demonstraram novamente o interesse em compartilhar seus projetos, modelos de negócios, e formas de medir o impacto gerado de forma representativa e correlacionada à alguma das 17 ODS da ONU.”

As inscrições já foram encerradas e agora comela a seleção para a segunda fase. Com isso, as empresas selecionadas apresentarão as evidências do impacto que geram.

Além da validação da Fundação Dom Cabral, elas passarão pelo crivo de uma banca de jurados formada por 80 executivos de grandes companhias e organizações que atuam na América Latina e em outros países, e de docentes.

Empresas

Empresas participantes: Aegea, IBM, Ambev, Grant Thornton, Amazon, Gerdau, MRV Engenharia, Electrolux, Banco Carrefour, Grupo A.Yoshii Engenharia, Editora Globo, Grupo Sequoia, Bradesco, Cubo-Itaú, Dow, Roche e Saque-Pague, entre outras.

Já entre as organizações internacionais, os destaques são: ICLEI, Banco Interamericano de Desenvolvimento, Future Females, Principles for Responsible Investment e ISH Markit for Latin America.

Processo de avaliação

O processo de avaliação é feito a partir da metodologia desenvolvida pelo Prof. Dr. Fabian Salum e sua equipe da Fundação Dom Cabral. Eles estão alinhados com os compromissos definidos pela ONU, e buscam a comprovação das evidências da contribuição socioambiental gerada pela startup para com a sociedade que recebe direta ou indiretamente o impacto positivo dessa contribuição.

*Foto: Divulgação

WhatsApp com função do Google Maps: ferramenta está em fase de testes

whatsapp-com-função-do-google-maps-ferramenta-está-em-fase-de-testes

WhatsApp com função do Google Maps pretende mostrar comércios e serviços próximos; Brasil fará parte do projeto piloto, começando por São Paulo, e empresas devem se cadastrar para aparecerem por meio desta ferramenta ao usuário

Nesta quarta-feira (15), o WhatsApp deixou claro que está cada vez mais no caminho para se tornar um aplicativo que vai bem mais além da função de mensagens em tempo real. Isso porque, agora, ela deve começar a mostrar comércios e serviços próximos aos usuários. Este tipo de tecnologia é similar ao Google Maps e lembra um pouco das funções do app do Google. Além disso, também serve como um guia para encontrar locais divididos em listas por categorias.

WhatsApp com função do Google Maps

WhatsApp com função do Google Maps ainda está em fase de testes, sendo que o Brasil deve integrar o projeto piloto. Neste caso, São Paulo deve ser a primeira cidade inclusa no projeto. Mas para isso, as empresas devem se cadastrar para que sejam exibidas aos usuários. No entanto, no início, apenas algumas regiões centrais da capital paulista devem ser compatíveis. As informações foram antecipadas pelo UOL.  

Como funcionará a ferramenta

Dentre os serviços e comércios já inclusos na ferramenta, estão: padarias, restaurantes, lojas, oficinas e escolas. Contudo, a lista deve ser ampliada aos poucos, elevando assim as categorias e regiões compatíveis com o recurso. Após essa ação basta escolher a categoria desejada.

Encerramentos dos testes do WhatsApp com função do Google Maps

Por outro lado, ainda não tem previsão de quando os testes serão concluídos, nem quando o recurso será lançado para a versão final do aplicativo.

Ampliando os negócios

Por fim, este recurso é mais um modo do mensageiro se aproximar dos negócios. A plataforma que já conta com o WhatsApp Business, para atendimento ao cliente, a nova ferramenta deve incorporar ainda mais empresas no aplicativo.

Essa é mais uma forma do mensageiro se aproximar dos negócios. A plataforma já possui o WhatsApp Business, para atendimento ao cliente a nova ferramenta deve incorporar ainda mais empresas no aplicativo.

*Foto: Divulgação

Remédios podem ter alta de até 18% por causa de reforma do IR

remédios-podem-ter-alta-de-até-18%-por-causa-de-reforma-do-ir

Remédios podem ter alta, segundo seus fabricantes, que pode impactar em mais de 18 mil produtos farmacêuticos

Com a aprovação, na Câmara dos Deputados, do texto base do projeto de lei que altera as regras do Imposto de Renda. Sendo assim, remédios podem ter alta de 12%, podendo chegar a 18%, em mais de 18 mil produtos farmacêuticos. A afirmação vem de fabricantes do setor.

Remédios podem ter alta com reforma do IR

De acordo com o Nelson Mussolini, presidente-executivo do Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos (Sindusfarma):

“Sem a reforma administrativa, a tributária perde o sentido, principalmente essa proposta que nem ao menos reduz a burocracia e, no final, quem pagará a conta será o consumidor de medicamentos.”

Além disso, a entidade calcula que, no geral, este nó consiste no fato de que essa reforma eleva a carga tributária de medicamentos, que hoje já corresponde a aproximadamente um terço (32%) do preço final ao consumidor. Portanto, bem acima da média mundial, que é de 6%.

Impacto também no SUS

Os remédios podem ter alta também para o Sistema Único de Saúde (SUS). Neste caso, o aumento seria, em média, de 18%, devido à cobrança de ICMS. E isso tudo considerando que alguns convênios vinculam a isenção desse tributo ao benefício federal de isenção de PIS/Cofins.

Sendo assim, neste grupo de medicamentos com substâncias isentas da cobrança de PIS/Confins estão os de uso contínuo utilizados em tratamentos de doenças como: câncer, hipertensão, cardíacas e diabetes.

Eles correspondem a 69,3% do total de produtos disponíveis no mercado farmacêutico atualmente, afirma a entidade.

Em nota, Mussolini disse ainda que é necessário encaminhar a reforma administrativa para só depois discutir a tributária.

“Antes de definir quanto quer arrecadar, a sociedade brasileira precisa definir quanto quer gastar.”

*Foto? Divulgação/Freepik

O que é Avaliação de Impacto e como ela reflete na sociedade

o-que-e-avaliação-de-impacto-e-como-ela-reflete-na-sociedade

Avaliação de Impacto considera a mudança social produzida por um programa ou projeto

Quando se considera o impacto da mudança social produzida por um programa ou projeto, estamos falando de uma avaliação. Neste artigo, você entenderá como este tipo de análise influencia em uma sociedade.

Avaliação de Impacto – o que é

Uma avaliação de impacto coleta resultados que se relacionam com as conquistas concretas. Em geral, ela corresponde ao alcance e a amplitude da iniciativa em questão. Além disso, o impacto social pode ter uma natureza mais subjetiva, associada à ideia de transformação na sociedade.

A avaliação é medida em torno do quanto este impacto muda a vida das pessoas envolvidas. Portanto, é uma prática reflexiva que visa buscar evidências para identificar se uma iniciativa tem atingido as transformações sociais que estipulou como objetivos.

Importância

A importância da Avaliação de Impacto vem de vários motivos e é uma ferramenta estratégica valiosa. Ela fornece ás organizações dados e evidências que possibilitam refletir sobre as abordagens adotadas. Com isso, ela pode oferecer suporte para o processo de tomada de decisão.

Ela também permite analisar a relação de causalidade entre as intervenções e os impactos percebidos, identificando fatores que são essenciais para impulsionar as transformações. Além disso, é capaz de saber os fatores que não contribuem de modo tão direto, e os limitadores que criam obstáculos.

Por fim, estudos avaliativos possuem o potencial de fortalecer o diálogo com investidores e com o setor público. Tudo isso auxilia as organizações a manterem um relacionamento transparente com doadores, e a reivindicarem melhorias nas políticas públicas e negociarem a ampliação de programas sociais efetivos.

O que é SROI e qual sua utilidade?

O ‘SROI – Social Return on Investment’, ou Retorno Social sobre Investimento, é um protocolo de avaliação que propõe uma análise comparativa entre o valor dos recursos investidos em um projeto ou programa e o valor social gerado para a sociedade com essa iniciativa. Para isso, ele aplica várias técnicas para prever o valor intangível de ativos que não podem ser comprados ou vendidos.

Esta ferramenta transcende a monetarização do impacto social. Mesmo que a relação custo-benefício seja o geralmente atrai a atenção dos investidores sociais, que enxergam a possibilidade de uma avaliação objetiva e financeira sobre o uso de seus recursos, este processo não deve ser considerado apenas um índice.

Amazônia

Em 2016, o IDIS (Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social) conduziu a avaliação do Retorno Social sobre Investimento de um projeto dedicado à primeira infância da Amazônia.

E o resultado positivo constatado pelo estudo foi de uma mudança social notável que o projeto gerou aos seus beneficiários. Isso porque ele ofereceu argumentos irrefutáveis para que o projeto se tornasse uma política pública. Sendo assim, houve um benefício para uma parcela significativamente maior da população, contribuindo para a melhoria da vida de mais crianças.

*Foto: Divulgação/Dirceu Quintino/Portal Amazônia